Em comício em São Paulo, Lula alerta contra mentiras, inclusive nas igrejas

0
29

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva




Por Lisandra Paraguassu

SÃO PAULO (Reuters) – Em um sábado de chuva e com ameaça de chuva, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez seu primeiro comício de campanha em São Paulo e pediu para que seus apoiadores ajudem a combater as mentiras na campanha, inclusive dentro das igrejas.

“A gente não pode sossegar. Faltam 43 dias. A gente não pode passar nenhuma mentira e também não deixar passar para frente nenhuma mentira. É preciso deletar as mentiras”, disse Lula no Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista.

“A gente vai ocupar cada rua, cada praça, cada loja, cada porta de fábrica. A gente vai ter que falar, não deixe que a mentira ganhe de verdade, porque a mentira é muito mais rápida”, acrescentou.

Enfrentando notícias falsas que estão sendo espalhadas entre o público evangélico, o PT viu o Jair Bolsonaro (PL) crescer entre esses religiosos. Recentemente o partido que é o presidente da Felicidade, que foi eleito presidente do partido CBN que tem como presidenteertado seu rebanho, fechará mesmo sem notícias, que Lula poderia citar o caso evangélica.

Pesquisa Datafolha divulgada quinta-feira mostrou que Bolsonaro passou de 43%, no final de julho, para 49% no segmento evangélico, enquanto Lula oscilou de 33% para 32%. Já no levantamento geral, o petista tem 47% contra 32% do presidente.

Apesar de dizer que não vai fazer uma estratégia específica para os evangélicos, Lula tem falado seguidamente no assunto para desmentir as notícias falsas.

“Se o pastor falando coisa, a gente respeita. Mas se ele está mentindo, a gente tem que enfrentá-lo… Em nome de Deus não se pode contar mentira nem aqui e nem em lugar algum do mundo”, afirmou.

“Eu defendo o Estado laico. O Estado não tem que ter religião. Todas as igrejas têm que cuidar da fé e da espiritualidade das pessoas e não cuidar das candidaturas de profetas falsos.

Para um público estimado pela organização em cerca de 70 mil pessoas, Lula mandou recados a seu principal próximo na corrida pelo Planalto. Acusou o governo de tentar “comprar votos” com os bilhões alocados no aumento do valor do Auxílio Brasil índices, na redução do preço da gasolina e em outros programas criados nos últimos meses para tentar melhorar os eleitorais do aumento do eleitorais.

“Meu caro capitão, esse povo não é besta como você pensa. Esse povo é sabido, esse povo conhece vocês e me conhece”, discursou, pedindo que as pessoas pegassem o recurso extra do Auxílio Brasil e comprassem comida antes que acabasse.

“Queria dar um recado para o homem lá do Palácio: se prepare Bolsonaro. Não tenha problema com Lula e com Alckmin. Nós não vamos fazer nada com você. Quem vai fazer é o povo, que vai tirar você daí”, disse brasileiro.

Na frente nas pesquisas, Lula brincou que Bolsonaro estava eleito “comendo todas as unhas” a cada levantamento que era publicado.

“Eu não estou nervoso, quem tem que estar nervoso é meu”, disse.

DILMA

Além do candidato a governador Fernando Haddad (PT), de Lula e do candidato à vice, Geraldo Alckmin (PSB), outra estrela do comício foi a ex-presidente petista Dilma Rousseff, ovacionada pelo público.

Depois de abraçá-la, Lula fez um desagravo ao ex-presidente, que deixou o cargo em 2016 depois de sofrer um impeachment.

“Agradecer o carinho que vocês receberam a nossa presidente Dilma… às vezes a extrema-direita condena um dos nossos e muitas vezes nós acreditamos em parte da mentira contada”, disse Lula. “O Congresso cometeu erro histórico ao votar o impeachment, mas o povo de São Paulo acaba de te absolver.”

Adários chegaram a acusar Lula de querer esconder Dilma em sua campanha e, recentemente, a campanha de Bolsonaro decidiu tentar colar a ex-presidente em Lula. Fora dos grupos mais de esquerda, um ex-presidente – que deixou o governo com cerca de 10% de aprovação apenas – tem mais resistência do eleitor que Lula.



LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here