Limpeza e cuidados específicos podem manter a casa livre de agentes alérgicos
A época preferida dos amantes do frio costuma ser um período crítico para quem sofre de alergias. No inverno, os ambientes fechados e a baixa circulação de ar acabam causando crises alérgicas — que, embora possam não ser perigosas, são estressantes e incômodas.
Embora a alergia não tenha cura, ela pode ser controlada. Limpeza frequente dos cômodos, hábitos saudáveis e uso de um edredom de qualidade ajudam a manter o quarto mais seguro contra agentes estressantes. Confira como se prevenir:
Mantenha o ambiente arejado
Um ambiente seco, arejado e limpo é o grande inimigo do ácaro, uma espécie de aracnídeo quase sempre microscópico, que também é um dos principais causadores de alergias. Segundo uma pesquisa da Unicamp, ele está relacionado a 80% das patologias respiratórias, como asma, bronquite e rinite alérgica.
Há milhares de espécies de ácaros, e boa parte deles alimenta-se de água. Portanto, deixar portas, janelas e cortinas abertas ajuda o ambiente a se manter seco e evita que esse aracnídeo se prolifere.
Evite poeira
Os ácaros também têm preferência por locais com acúmulo de poeira doméstica, que serve de alimento para eles. Basicamente, essa sujidade é composta por restos de pele humana, alimentos, insetos, penas e pelos de animais, fibras de tecido e pólen das plantas.
Quanto mais poeira um local acumular, mais ácaros terá. A limpeza constante e a entrada de luz solar ajudam a evitar esse problema.
Use itens limpos
O problema causador da alergia pode estar nos itens de cama. Travesseiros, lençóis, edredons e colchas limpas vão ajudar o indivíduo a se manter longe de crises alérgicas — principalmente durante o inverno, quando o uso de cobertas é maior.
Algumas dicas para a limpeza desses itens:
use sabão neutro sempre que possível: quanto menos cor e cheiro o agente de limpeza tiver, mais adequado para alérgicos será. O perfume é um fator que costuma desencadear crises alérgicas;
evite amaciante: ele costuma ser muito perfumado e, portanto, inadequado para alérgicos;
lave com água quente: as altas temperaturas ajudam a matar os ácaros;
enxágue pelo menos duas vezes: mais importante que o tipo de produto utilizado é não deixar nenhum resíduo dele. Por isso, o ideal é enxaguar as roupas de cama mais de uma vez em cada lavagem.
No inverno, o ideal é lavar a roupa de cama pelo menos uma vez por semana; já no verão, essa frequência pode ser ainda maior: a cada três ou quatro dias.
Como são pesados, edredons e cobertores devem ser lavados sozinhos na máquina. No inverno, o ideal é que sejam higienizados quando saem do guarda-roupa, mesmo que tenham sido lavados antes de guardar. Lave-os a cada três meses.
Atenção à composição
Ainda no assunto roupas de cama, é fundamental ter atenção à composição dos itens. Quanto mais algodão o tecido tiver, mais adequado é para quem sofre de alergias. Além disso, fuja dos cobertores de lã. Além de acumular poeira, a fricção irrita as peles mais sensíveis.
O plush é um tecido mais interessante. O edredom acumula menos resíduos e o cobertor é mais fácil de lavar. A frequência, contudo, é um pouco maior: precisam ser limpos uma vez ao mês.
Evite o cigarro
A fumaça do cigarro em si não é causa de alergias. Contudo, quem é alérgico fica ainda mais sensível, porque ela irrita as vias aéreas, trazendo ainda mais prejuízos para quem já sofre com asma e rinite.
Portanto, pode causar sintomas respiratórios e nasais semelhantes ao de uma reação alérgica.
E não para por aí: quem fuma tem prejuízos piores. O fumo danifica a camada epitelial (tecido que reveste a pele e as cavidades de órgãos) dos pulmões e facilita a penetração de agentes alérgicos. Ele também compromete outros mecanismos de defesa do órgão. O indivíduo perde parte de sua capacidade pulmonar e pode ter dificuldades de respirar, junto com chiado, tosses e espirros.