As câmeras digitais são o equipamento ideal para quem quer tirar fotos bonitas e de
alta qualidade. Elas estão disponíveis em diversas versões, sendo que as profissionais
são as mais buscadas por quem trabalha com fotografia ou é aspirante dessa arte.
No entanto, as câmeras profissionais contam com uma infinidade de recursos, que nem
sempre são conhecidos pelos portadores desse produto.
Contudo, essas funcionalidades podem fazer toda a diferença na hora de registrar os
momentos. Por isso, saber usá-las é essencial.
Logo, a seguir reunimos 5 dicas para que você consiga aproveitar todos os recursos
presentes na sua câmera profissional, confira.
1 – Leia o manual
Pode parecer bobagem, mas a melhor maneira de conhecer a fundo tudo o que o uma
câmera oferece é lendo o seu manual.
Nele estão contidas todas as informações a respeito do produto, desde a forma de usá-
lo até as suas funções e o que pode ser feito com ele.
Sendo assim, ao adquirir uma câmera vale a pena pegar o seu manual e estudá-lo
como se fosse um livro. Dessa forma, consegue-se aprender a usar o equipamento
corretamente.
2 – Defina o formato das imagens
As melhores câmeras fotográficas profissionais podem salvar os arquivos em dois
formatos diferentes: JPEG ou RAW. Qual deles utilizar depende muito do que se
deseja fazer com a imagem.
Com isso, as fotografias no formato RAW são as que oferecem melhor qualidade de
imagem e são ideais para quem deseja realizar manipulações ou retoques na foto.
Elas contam com uma profundidade aumentada e dão ao fotógrafo um controle total.
Entretanto, os arquivos nesse formato são maiores e mais pesados, sendo necessário
um espaço de armazenamento mais elevado para salvá-los.

Por outro lado, se o que se busca é praticidade, então vale mais a pena fotografar no
formato JPEG.
Isso porque nele as imagens são processadas pela própria câmera e já saem prontas
para serem utilizadas. O ponto negativo é que a sua qualidade é inferior.
3 – Foco automático ou manual
Um recurso que garante ótimos resultados para as fotos é o do foco, que está
disponível nas câmeras profissionais na versão automática ou manual.
O foco automático foi criado para tornar o trabalho dos fotógrafos mais fácil e é ideal
para quem não tem muito conhecimento das técnicas de fotografia. Nele o
equipamento reconhece o objeto principal da cena e foca nele automaticamente.
Porém, muitas vezes essa funcionalidade não é a mais indicada e é aí que entra o foco
manual.
No foco manual o fotógrafo será o responsável por determinar onde a lente da câmera
deve focar, fazendo com que o que é mais importante para a cena fique em evidência.
Além disso, algumas câmeras disponibilizam o modo híbrido, que consegue trocar
automaticamente o foco de área única (AF) para o foco servo contínuo (AI). Esse
recurso é muito interessante para cenas de movimento e cria um ótimo resultado.
4 – ISO
O ISO é uma funcionalidade pouco explorada pelos fotógrafos amadores, mas que está
presente nas câmeras digitais e pode auxiliar nas fotos com pouca iluminação.
Muitas das máquinas mais modernas são equipadas com um ISO automático, que
realiza ajustes automaticamente conforme a intensidade da luz do ambiente.
Entretanto, o ISO manual também é bastante útil e permite ao fotógrafo ajustá-lo
conforme o resultado que deseja.
Dessa forma, ao utilizar um ISO mais baixo consegue-se imagens com menor
quantidade de ruído, porém essa configuração é mais indicada para ambientes com
maior iluminação.
Já o ISO alto serve para manter uma velocidade do obturador mais rápida e evita
desfocagens.
5 – Participe de fóruns e grupos online

Hoje em dia a internet virou uma verdadeira enciclopédia e existem inúmeros fóruns e
grupos online voltados para fotógrafos.
Neles é possível encontrar informações valiosas sobre métodos de fotografia, formas
de usar as câmeras digitais e como explorar os recursos desses equipamentos.
Inclusive, há grupos para modelos ou fabricantes de câmeras que são ainda mais
específicos e uma excelente fonte de aprendizado. Por isso, vale a pena fazer parte
deles para se aprimorar.