A falsificação de bebida, infelizmente, é uma coisa que acontece frequentemente. E o pior de tudo é que muitas vezes é difícil identificar qual bebida é falso porque os profissionais se destacam tanto e trocam até os detalhes especiais. Além da concepção, a bebida falsificada tende a causar diversos riscos à saúde.

Por isso que as autoridades estão sempre atrás de pessoas que cometem esse crime. Agora, por exemplo, as polícias Civil e Militar fecharam um galpão em Queimados, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, que era usado para falsificar cerveja.

Nessa falsificação, as tampas e os rótulos de bebidas mais baratas eram trocados por outras marcas mais baratas. Nessa operação, 12 homens foram presos. A chamada Operação Ressaca aconteceu em conjunto entre agentes da 21ª DP (Bonsucesso) e policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BVPE).

“Tentaram fugir pela traseira do galpão, pelo muro de trás, mas a gente cercou o local e acaboundo quando eles pularam o muro”, afirmou o delegado Hilton Alonso, que é o responsável pelas investigações.

Apreensão

G1

geralmente, a falsificação era feita nas garrafas de vidro de cerveja de 600ml. Na, ocasião um homem feito para os policiais como foi feito esse golpe. Para a falsificação, ele tira a tampinha original da cerveja barata e coloca a alguma marca mais cara. Depois disso feito é a hora de os adesivos do alto da garrafa e do rótulo central serem colados.

Essas prisões não aconteceram do nada. As investigações que estavam levando a elas quando a Polícia Civil estava fazendo uma oferta a respeito das vendas de bebidas aproveitáveis ​​nos bailes funk das favelas do Complexo da Maré, na Zona Norte do Acaso

De acordo com a definição do delegado Hilton, o lugar onde a falsificação era feita era insalubre. Chegamos fábrica, junto com o BP VE, graças a um serviço de inteligência, junto com o Disque Denúncia também até essa “inteligencia”. Conseguimos prender esses elementos. A investigação agora vai apenas para ver quanto tempo eles são idênticos. Toda essa diretriz vai ser nessa investigação”, disse.

Além dos 12 homens, todo o material usado para as falsificações, como por exemplo, rótulos, tampinhas e até o martelinho usado para fechar os engradados, também foram apreendidos.

Outra apreensão foi o caminhão que fazia a entrega dessas cervejas falsificadas. O veículo foi pego quando um dos homens tenta vender as cervejas em um depósito. E o delegado, o dono do depósito também foi autuado em flagrante por recepção segundo.

Falsificação

Veja SP

Por mais que seja difícil identificar uma falsificação de uma bebida, existem alguns detalhes que podem entregar se ela é falsa ou não. No caso da preferência nacional, ou seja, a cerveja, malte de cevada é a matéria-prima principal no processo de fabricação dela, além da levedura e do lúpulo. Portanto, é preciso ter cuidado com os ingredientes extras. Não é permitido o uso de adoçantes, corantes ou quaisquer maneiras de produzir sabores artificiais. Além disso, é bom se atentar à espuma. Ela precisa permanecer na superfície da cerveja pelo menos 3 minutos.

Outro ponto importante para a cerveja é a cor da bebida. Fora as opções propositalmente escuras, a bebida deve ser clara. Variedades leves têm tons dourados, sem a cor verde, vermelha ou marrom. Além disso, a cerveja light é mais “brilhante” do que as demais.

Sabemos que o momento do happy hour não é só pela bebida que está dentro do copo, mas também pelo momento que ele protagoniza. Entretanto, ninguém quer ser vítima de uma falsificação. Por isso que, quando finalmente para a hora certa, sozinho ou com os amigos, é se lembrar desses detalhes.

Fonte: G1,

Imagens: G1, Veja SP