As mensagens mostram o controle do agressor antes de atacar o procurador

0
3

São Paulo – Funcionários da Prefeitura de Registro, no interior de São Paulojá não há semanas um comportamento agressivo do procurador Demétrio Oliveira Macedode 34 anos, preso por agredir seu chefe.

Em uma conversa pelo G1a agente administrativa Thainan Maria Tanaka chamou uma procuradora-geral Gabriela Samadello Monteiro de Barros para avisar que o homem tinha entrado no escritório “transtornado”.

“O doutor Demétrius acabou de vir aqui, era 17h33, a ‘Pri’ [funcionária] falou com ele: ‘Voltou, doutor?’, mas ele nem a respondeu. Foi direto na sua sala e, depois, enfiou a cabeça na sala da doutora Kátia. Veio para ‘quebrar o pau’, estava transformado!”, disse em um aplicativo de mensagens, no último dia 27.

0

A troca de mensagens revela ainda que os funcionários tinham medo de Macedo e que sua presença causava ansiedade.

Thainan que abre um portasse para procurarar dos colegas, identificado que Macedo trancado local. “Lucas trancou a porta. Estamos dando um tempo para sair. Veio seco atrás de vocês. Foi legendado”, disse.

No dia 30 de maio, Gabriela afirmou: “Preciso fazer alguma coisa”.

Agressões

Na tarde do último dia 20, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, foi brutalmente agredida por Macedo.

Ao Metrópolesum procuradora-geral pode sequência de 20 minutos e que, além de socos e chutes, foi arremessada na parede.

“Ele tomou de uma comissão que.ia um processo administrativo contra ele Eu acho que ele visualizou uma publicação no Diário Oficial e ficou furioso”, conta.

Demétrius Oliveira Macedo foi preso na manhã de quinta-feira (23/6), no hospital psiquiátrico Santa Mônica, na capital de São Paulo.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here