TJDFT, mantidos por Adriana Villela mas reduzindo pena a 61 anos

0
2

A 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) manteve o júri mais longo da história do DF que condenou Adriana Villela, masclusão a pena de 67 anos de re. A decisão unânime ocorreu nesta quinta-feira (23/6).

A arquiteta foi condenada pelo triplo homicídio triplamente qualificado dos pais e da empregada do casal, no caso que ficou conhecido como Crime da 113 Sul. O Tribunal, que ocorreu em 201, durou 10 dias e mais de 100 horas de discussões do Júri de Brasília.

Tocaia na escada e 72 fachadas. Relembre a dinâmica do Crime da 113

0

1 desevimento de defesa do TJDª Turma parcial, por unanimidade, da decisão criminal do TJDªFT, dar provimento aos pedidos de defesa e isso da acusação em relação à pena, por ter ocorrido modificação no total de anos.

O relator do processo, desembargador César Loyola, rejeitou o pedido da defesa de Adriana para anular o júri por impedimento de uma jurada e cerceamento de defesa.

Uma das juradas, do total de sete que julgaram Adriana, fez críticas ao advogado Kakay, que defende a ré. Quando foi publicado pelo juiz do caso, questão social, as publicações a defesa, porém em público da mulher.

Loyola afirmou que a defesa poderia ter sido recusada durante o julgamento do caso, em 2019, mas optou por não fazer isso.

A vida da família Villela é devassada pela polícia

O relator também fosse para cumprir a pena. Ou seja, ela pode continuar recorrendo em liberdade.

Lembre-se do crime

O ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) José Guilherme Villela, advogada Maria Villela, pais da arquiteta, e empregada do casal, Francisca Nascimento Silva, faleceu esfaqueados em 28 de agosto de 2009, no apartamento do casal, na 113 Sul . Foram 73 perfurações causadas por armas brancas, no total.

Os outros três já condenados pelo Tribunal do Júri no caso do Crime da 113 Sul tiveram as seguintes penas: 62 anos para Paulo Cardoso Santana; 60 anos para Leonardo Campos Alves; e 55 anos para Francisco Mairlon.

O Metrópoles contorno o caso com riqueza de detalhes não podcast Revisão Criminal. Em sete incidentes, as teses da defesa e da acusação foram explicadas com profundidade. Vale a pena ouvir.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here