Os transportes de carga da Argentina iniciaram na quarta-feira, 22, uma greve por tempo indeterminado e bloquearam algumas rodovias do país. A operação cobre resposta das autoridades à tarifas nas tarifas e pede um aumento de frete.

A greve é ​​causada por dois sindicatos do setor, meio à sua luta internacional e de outros e aumento de preços à guerra na Rússia e na Ucrânia.

Longas de caminhões e estavam estacionadas ao lado bloqueando rodovias nas províncias de Buenos Aires, Neuquén, Rio Negro, La Pampa, Santa Fé, Córba, Tucumán, Corrientes, Misiones e Formosa.

Anteriormente, um grupo de transportadores havia iniciado o transporte de veículos em uma ordem das rodovias de acesso à capital argentina, mas finalmente liberou a passagem da segurança.

A demanda pordiesel aumentou nos últimos meses na Argentina, com aumento da atividade em setores como transporte e em um contexto de recuperação econômica.

No entanto, não é lucrativo para o importador Petroleumíferas Diesel porque não podem vendê-lo ao preço de compra, uma vez oGoverno impede que todo o seu valor seja repassado ao mercado no contexto inflacionário atual.

Na Argentina, o transporte de cargas é monopolizado por caminhões. Embora o G. não tenha convocado osvista para uma reunião de quarta-feira, mais tarde na medida em que não prosperaram.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.