Nem todas as raças de cachorros são vistas com bons olhos pelas pessoas, como por exemplo, o pitbull. Essa raça, também conhecida como american pit bull terrier, tem uma fama ruim que, na realidade, não é condizente com a personalidade do cachorro. Ele pode ser dócil, sociável, alegre e carinhoso com seus donos, desde que seja adestrado desde filhote.

Mesmo assim, uma grande parte das pessoas tem medo quando vê um cachorro dessa raça. Até porque, em alguns casos, um pitbull realmente pode ser agressivo, como por exemplo, o caso que aconteceu na cidade de Bahía Blanca, na Argentina.

“O animal estava fora de si, queria entrar. Todos com vassouras em mãos tentando impedir que ele entrasse, até que permitisse, contorno uma testemunha para o jornal argentino “La Nacion”.

Caso

G1

O caso da sua aconteceu no comeco desse mes quando um pitbull escapou casa e atacou outro animal e tambem avancou nos moradores do local. Um desses moradores perseguidos pelo cachorro foi o filho de Noelia Morán, uma senhora que estava em casa quando viu o animal tentando invadir sua propriedade. Por conta desse ocorrido, Noelia teria se assustado e teve um infarto.

Embora a senhora tenha sido socorrida, ela não pôde ser reanimada. Segundo os familiares, ela tinha problema de pressão alta. “A avó do meu gênero estava em estado de choque e minha cunhada desmaiou, morrendo no momento da parada cardíaca”, contorno a testemunha.

O dono faz pitbull, identificado como David, disse que está bem magoado com toda a situação e que está em contato com a família da vítima. De acordo com ele, Noelia era mãe da melhor amiga de seus filhos.

Pitbull

Adoro animais de estimação

Claro que esse caso aconteceu na Argentina não faz com que a fama dos pitbulls fique melhor. Contudo, essa raça não se resume à agressividade. Tanto que por ter uma ótima relação com as crianças, o pitbull, da mesma forma que o boxer, pode ser chamado de “cão babá”.

“O animal foi criado para brigas de cachorros, então foram unidas duas raças que na sua natureza são um pouco mais ressabiadas, inseguras ou desconfortáveis ​​com a presença de outros bichos. Por isso se não socializado corretamente desde filhote, pode vir a ter problemas sérios com outros cães”, explica Luiza Cervenka, bióloga, com doutorado em veterinária e terapeuta comportamental de cães e gatos.

O pitbull é conhecido por outras características, como por exemplo, sua lealdade também, lealdade, instinto protetor e por energia para gastar. O ponto importante para que esse cachorro se torne sociável é o adestramento desde filhote. Além disso, tal condicionamento também fará com que ele não destrua a casa do seu dono.

Contudo, atualmente, ressalta a bióloga as mudanças genéticas estão sendo feitas para melhorar os problemas de saúde e agressividade da raça. Além disso, a médica-veterinária Jade Petronilho desmistifica o conceito de que o pitbull foi um cachorro criado em laboratório.

“Os criadores da raça o início, tendem a promover uma seleção de genética de seus e padres de modo que os filhotes nasçam matrizes com determinadas características físicas e de temperamento ela.

Então, no XIX, o pitbull nasceu, no Reino Unido, a partir do cruzamento antigo de buldogues com o terrier inglês. O objetivo dessa ação criar era um cachorro que fosse forte, ágil e resistente.

Mas quando chegou aos Estados Unidos, ela sofreu algumas mudanças. Isso deu origem ao pitbull que se conhece atualmente. Um fato curioso é que, mesmo com tanto tempo de existência, tanto o-Kennel Club (AKC), quanto a Confederação Brasileira de Cinofilia não (CBKC) não reconhecem o pitbull como uma raça.

Fonte: G1,Revista Casa e Jardim

Imagens: G1, Adoro animais de estimação