Hepatite: o que é e por que voltamos a falar dela? – Notícias sobre Educação, Vestibular e Carreira

0
2

Saiba o que estudar para o vestibular do Mackenzie!

Causada principalmente por um vírus pertencente à família Picornaviridae, a hepatite é uma doença que provoca inflamação no fígado. Apesar da origem viral, o uso de medicamentos também, abuso de álcool e drogas, doenças autoimunes, metabólicas e genéticas podem causar-la.

Quais são os tipos de hepatites conhecidas?

(Fonte: Shutterstock)
(Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Os tipos mais comuns de hepatite ocorrem quando o próprio sistema imunológico “ataca” ou o fígado ocorre. , ainda existem como doenças causadas pelo vírus do tipo D e E.

A do tipo A é gasto pelo consumo de água e alimentos contaminados ou por meio de uma pessoa doente. Entre os sintomas, estão febre, icterícia, náusea e vômitos. As do tipo B e C são alteradas pelo e, no caso da B, contato sexual (desse modo, os sintomas são semelhantes aos do tipo A, mas podem evoluir sangue para um quadro normal).

As hepatites D e E têm menor prevalência dos tipos Brasil e os sintomas são semelhantes aos anteriores, além de ambas poderem evoluir para o quadro agudo e diferente. Por essa razão, é recomendado que a população faça exames de sangue periódicos para o diagnóstico precoce e, se necessário, início imediato do tratamento.

O que é uma doença misteriosa de causa desconhecida?

(Fonte: Pexels)
(Fonte: Pexels/Reprodução)

Foram identificados em todo o mundo, especialmente na Europa, mais de 429 casos de uma sepultura incendiada no órgão, de acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Não Brasil, o Ministério da Saúde analisando 47 ocorrências suspeitas da doença.

O que sabe a respeito da enfermidade é que, entre os sintomas, pode ser como enzimas hepáticas muito elevadas, icterícia e sintomas gastrointestinais, especialmente em crianças de até 10 anos de idade. Em algumas delas, detectou-se a infecção pelo vírus causador da covid-19 e/ou de um adenovírus chamado de “tipo 41”.

A OMS e as possíveis de controles de doenças nos países que já detectam uma hepatite misteriosamente elevadaam que não relacionam os vírus presentes com casos em questão. Não há nenhuma relação com a privacidade que não têm claro a covid-19já que a maioria dos infectados não recebeu nenhuma dose da vacina.

Não há motivos para temor

(Fonte: Pexels)
(Fonte: Pexels/Reprodução)

Os divulgados pela OMS na última-feira (17) mostram que não há motivos para pavor. O número de ocorrências (429 com apenas 6 casos confirmados, e o adenovírus que pode estar associado à doença), pode estar associado à doença, e pode estar associado à doença.

Sua transmissão ocorre pelo contato entre pessoas contaminadas, por meio de gotículas de saliva e superfícies, porém é um tipo de duração que tem duração curta e não costuma evoluir para quadros graves.

Como em qualquer eventual surto de uma doençarecomenda-se esperar a manifestação dos órgãos competentes, de forma a lidar corretamente com as informações que já se sabe a respeito.

Leia também:

Saiba o que estudar para o vestibular do Mackenzie!

Fonte: Bem Estar, Ministério da Saúde, Jota

Este conteúdo foi útil para você?

67730verificação de cookiesHepatite: o que é e por que voltamos a falar dela?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here