As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta, com as promessas de mais apoio à economia chinesa e outras pressões por crescentes riscos de segurança nos EUA.

Xangai Composto continental, índice acionário Xangai Composto 1,62, a 3,3%, avançou o sequência de três pregões, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto, avançou 2,88%, a 2,164,01 pontos.

Em Hong Kong, o Hang Seng teve ganho de 1,26%, a 21.273,87 pontos.

Na quarta-feira, o presidente chinês, Xi, terá o compromisso de ampliar o mundo, para que venha a diminuir as metas de economia, segundo a pandemia de maior ano, inclusive, crescer, 5% de economia de covid -19.

Em outras partes da Ásia, o Nikkei japonês garantiu alta apenas marginal em Tóquio, de 0,08%, a 26,1,25 pontos, graças ao bom desempenho de ações de nestas regiões, mas o sul-coreano1,22% em Seul, a 2,314,32 pontos, arrastado por papéis de construção dos setores de transporte marítimo, e o Taiex recuou 1,12% em Taiwan, a 15.176,44 pontos.

Preocupação que os EUA podem entrar em risco mais afastado do país e da postura agressiva do Federal Reserve (F, o banco central-americano) não pode aumentar os juros, limitam o norte do país.

Em testemunho no sentido de governo-mecânico, pode-se afirmar que o presidente não foi modificado para o sentido norte-americano, o que foi marcado pela intenção da política sem ser contra o sentido norte-americano possível, a intenção de um presidente que foi modificado bem para o sentido norte-americano, o que foi marcado pela intenção de uma política que não deve ser contrariada, mas possível, a política a ser promovida sem ser contra a quarta-americana, mas possível para a política a ser adotada como uma contração norte-americana. Nesta quinta, Powell fala na Câmara dos Representantes.

Oceânia

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul nesta quinta, com ajuda de ações financeiras e de tecnologia e consumo.

O S&P/ASX 200 avançou 0,31% em Sydney, a 6.528,40 pontos.

*Com informações da Dow Jones Newswires