Presente no lançamento da Coordenadoria de Games e Esports, no Rio de Janeiro, na última terça-feira (21), Gabriel “Assar” Lessa concedeu entrevista exclusiva ao Tropa Free Fire e falou sobre a presença da Garena nenhum emulador competitivo. Segundo o jogador, não esboça uma reação desenvolvida para o fato do cenário.

+ NOISE tem recursos com Mito
+ Bak exalta rivalidade entre Fluxo, LOUD e Los: “Sem torcida, não tem jogo”

Bak revelou que atualmente a Garena presta um tipo de auxílio à NFA, principal organizador de campeonatos do competitivo emulador atualmente, mas que não chega a ser um auxílio significativo. Além disso, na visão do astro do Fluxoo cenário só está de pé por conta de pessoas que ainda acredita e investem nele.

Relacionado ao emulador competitivo, eles (Garena) não esboçam reação. Hoje em dia eles darão um “apoio” à NFA, mas não é uma coisa que é muito significativa a ponto de mudar o emulador de cenário. O cenário que só vive por que tem gente gosta, gente que consome e gente que faz os eventos“, disparou.

Um outro ponto destacado pelo capitão dos Crias foi sobre a relação entre os influenciadores com um desenvolvedor do battle royale mais famoso do país. Segundo o atleta, até o momento a relação entre ambos é tranquilo, embora atualmente os criadores de conteúdo não sejam as mesmas coisas de antigamente.

Em relação aos influenciadores, para mim está “mec”. Não é mais igual antigamente. Antes eles (Garena) nos davam muitas coisas e hoje em dia frearam isso. Até mesmo na questão do código. Mas não sei ao fundo como está isso não.“, disse.

Quer saber mais sobre Free Fire? Siga a Tropa Free Fire nas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter!

Além de Bak, o emulador de cenário concentra outros grandes nomes influenciadores, que apresentam altíssimos números em transmissões ao vivo realizadas. Como é o caso do cofundador do Fluxo, Lucio “Cerol” Lima, que é um dos streamers mais assistidos do Free Fire não Mundo.