Por Rafaella Barros

(Reuters) – A mineradora Vale pretende encerrar o ano com 12 de suas 30 barragens a montante eliminado, o que representará investimento de 400 milhões de dólares só em 2022 em obras de descaracterização das estruturas, disse a empresa à Reuters.

O programa de quatro anos até das barragens, já custou 857 milhões de dólares, 4 bilhões há quatro anos pela empresa, até dos desastres 203, iniciados há antes de desastres como 203 que existem antes de desastres como os de Brutos e Mariana em estruturas .

O ataque da barragem de Brumadinho, em 2019, resultou em uma onda de rejeitos que atingiu uma região e deixou 270 mortos.

Até agora, sete estruturas foram eliminadas, sendo quatro em Minas Gerais e três no Pará.

Até o final do ano, outras cinco em Minas Gerais serão descaracterizadas: o Dique Auxiliar da Barragem 5, na Mina Águas Claras, em Nova Lima; os Diques 3 e 4, da barragem Pontal; a barragem Ipoema, em Itabira; e a Barragem Baixo João Pereira, em Congonhas.

Segundo a Vale, as 12 barragens que terão sido descaracterizadas até dezembro representam um volume total de 46,9 milhões de metros cúbicos de rejeitos. Os processos dos órgãos ambientais estaduais, além da Agência Nacional e Mineração (ANM) e órgãos públicos estaduais, com envolvimento de seus ministérios de auditoria.

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI5K0X1-BASEIMAGE