O ministro Alexandre de Moraesvice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), encaminho para o Ministério Público Eleitoral (MPE) uma ação do deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) que pede para investigar o uso do cartão corporativo em suposta propaganda eleitoral antecipada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

O material apresentado pelo parlamentar identifica duas motociatas de apoiadores do presidente às quais ele compareceu em abril. A primeira, no dia 15, foi realizada em São Pauloenquanto a segunda, no dia 20, foi na cidade de Rio Verde, no interior de Goiás.

Os valores gastos no cartão corporativo do Executivo federal atingiram R$ 4,2 milhões apenas em abril, valor semelhante ao soma gasta entre janeiro e março de 2022: R$ 4,6 milhões.

A ação pede que Bolsonaro seja investigado por meio do uso dos Cartões de Pagamento do Governo Federal (CPGF) para propaganda eleitoral antecipada dos eventos com apoiadores.

“Chama a atenção esse gasto exorbitante. Há indicações de sepulturas de que o Bolsonaro está usando o cartão corporativo para fins de campanha por lei autorizada. É um desejo usar dinheiro público com essa finalidade”, argumenta Vaz.

Agora cabe ao MPE avaliar se a denúncia será acolhida e investigação iniciada.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.