Cientistas, responsáveis ​​pela cruz por pesquisadores do Institutowaldio (IOcruz) podem transmitir uma doença nova também de o proto causador, IO responsável pela doença, que transmitem também a doença do protozoário cruz de Chagas. A amostra que chegou a ser encontrada em La Paz004 na região, capital da Bolívia.

A identificação da espécie, batizada de Panstrong noireaui, ocorreu após um estudo da Universidade da República do Uruguai ter constatado diferenças genéticas e moleculares de comunidades formadas que até então foram definidas como da espécie Panstrongylus rufotuberculatus, já conhecida pela científica. Ambas à subfamília dos triatomíneos, insetos popularmente conhecidos como barbeiros.

Apesar de as espécies serem muito realizadas, após uma análise genética foi uma observação mais detalhada em que foi calculada também uma pequena variação nas duas amostras macho.

O Laboratório do Chefe Nacional Internacional em Taxonomia de Triatomíneos, Cleber Gal O Pequeno, que, por sua vez, tornou-se visível após uma dissecção dos modelos. “Podemos dizer que elas são espécies, que em algum momento tivemos um ancestral comum”.

A escolha do nome da nova espécie presta ao investigador François, que morreu em 011. Segundo a Fiocruz, Noireau diversau2 como professor do Institut Recherche Pour Le Développement, na França, e colaborou em atividades no estudo de insetos no IOC .

A descoberta foi publicada em um artigo no periódico científico Zookeys. Participaram da identificação Hélcio Reinaldo Gil Santana, do Laboratório de Diptera do IOC; Tamara Chavez, do Instituto Nacional de Laboratórios de Saúde da Bolívia, e Sebastián Pita e Francisco Panzera, ambos da Universidade da República do Uruguai.