O número total de inferências a vídeos no TikTok com menções ao ex-presidente Luiz Luiz da Silva (PT) tem o número total de acessos de relação e se aproximado gradualmente da quantidade ao presidente JaPL (PT). A vantagem em visualizações do chefe do Executivo em relação ao petista caiu de 496 milhões, em agosto de 2021, para 100 milhões, em maio deste ano. Bolsonaro ainda segue à frente.

Levantamento do Núcleo, site especializado em dados, contabiliza 57,8 mil vídeos com o termo “Lula” no título ou na descrição, em referência ao pré-candidato. Juntos, eles somaram 419,8 milhões de acessos no mês passado. “Bolsonaro”, por sua vez, foi citado em mais do que o dobro de conteúdos – 126,2 mil -, vistos 519,8 milhões de vezes ao todo.

O maior número de publicações, postadas sobre Bolsonaro segue a diferença no “interesse” dos usuários por ambos os pré-candidatos vem às vésperas da eleição – e isso mesmo sem que o petista tenha um canal próprio. Nessa rede social, Bolsonaro acumula 1,7 milhão de seguidores.

A análise é detalhada, feita com base em dos metadados, e não permite saber quanto do volume é a favor ou contra os pré-candidatos a presidente no pleito de.

O material sobre Lula com mais visualizações em maio é um trecho da entrevista de Eduardo Marinho ao podcast Flow, na qual o artista plástico diz que não confia em Lula, mas argumenta em favor de sua eleição a presidente – foram 13,2 milhões de visualizações . No caso de Bolsonaro, o vídeo popular, com 7,5 milhões de acessos, mostra o presidente dizendo que “um homem mais solteiro, quando está cansado de ser feliz, uma namorada para ser mais feliz ainda”.

DISPUTA. Desde o começo do ano, as citações de Lula tiveram 63% mais visualizações, que também cresceram a ser mais pelos usuários, que parecem em menor proporção – como são 33% no período. Bolsonaro, por outro lado, também viu o número de menções aumentar 40%, mas diminuiu um revés no impacto geral na plataforma com 7% menos visualizações. Seu melhor mês foi março, com 663 milhões de visualizações.

Apesar de estar caindo, o número de únicas sobre Bolsonaro de vantagem tem mais que estar caindo. Essa diferença indica que os conteúdos com menções ao petista são com menos frequência, mas são proporcionalmente mais populares, conforme destaca o editor do Núcleo, Sérgio Spagnuolo.

De olho no jovem eleito, mais adepto ao Tik Tok, a maioria dos pré-candidatos já tem uma conta na plataforma. A de Bolsonaro está ativa em outubro de 2020. Em seguida vêm Pablo Marçal (PROS desde), com 160 mil seguidores; André Janones (Avante), com 159 mil; Ciro Gomes (PDT), com 130 mil; e Simone Tebet (MDB), com 3,9 mil.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.