[ad_1]

Tempo estimado de leitura: 4 minutes

Em partida válida pela décima terceira rodada da Série B 2022, o Grêmio recebeu o Sampaio Corrêa na Arena, na manhã deste sábado (18), e venceu por 2 a 0. Com o resultado o tricolor voltou ao G4 da competição e agora torce para o tropeço do Sport para se manter no grupo de acesso.

Primeiro tempo

O Grêmio começou com boa movimentação, a equipe bem postada em campo, compactada. Do meio para a frente, especialmente pelo lado esquerdo, o time mostrou movimentos interessantes com combinações entre Bitello, Diogo Barbosa e Biel. 

O Tricolor procurou se colocar no campo do Sampaio Corrêa, se projetando de corpo inteiro, e chegou a ter 72% de posse de bola, um bom início. No entanto, não conseguia finalizar. Uma questão que chamou a atenção é a dificuldade do Grêmio em atacar pelo lado direito. Faltava articulação de Villasanti com Varela e Janderson, a equipe ficou torta.

Da metade do primeiro tempo em diante, o Sampaio Corrêa corrigiu a marcação, e começou a controlar um pouco mais as ações ofensivas Tricolores, em contrapartida, não conseguiu levar perigo ao gol de Grando. Aos 25 minutos, Villasanti se projetou pelo meio e pifou Janderson, chance de gol, o atacante chutou cruzado para defesa de Luiz Daniel.

Aos 35 minutos Diogo Barbosa cobrou falta, levantando para a área, no segundo pau Bruno Alves cabeceou cruzado, a bola tocou o travessão e se ofereceu à Diego Souza que de cabeça marcou. Com o gol, o artilheiro se tornou o goleador do Grêmio no século.

O primeiro tempo foi gremista, a equipe de Roger Machado teve mais posse de bola, mais finalizações, e marcou um gol. O Tricolor dominou as principais ações da partida e mesmo que não tenha criado tantas oportunidades para marcar, acabou merecendo o placar.

Segundo tempo

O segundo tempo começou como terminou o primeiro, o Grêmio tendo a bola, e tomando a iniciativa, enquanto o Sampaio Corrêa, em função do prejuízo no placar e da necessidade de melhorar na tabela procurava sair um pouco mais, mas parava na bem postada defesa gremista.

Em relação ao primeiro tempo, notoriamente o Tricolor diminuiu a velocidade e procurou surpreender nas saídas do adversário. O problema da falta de jogadas pela direita se repetiu, Villasanti não conseguia dialogar com Janderson e Varela, até porque este último não é da posição e não tem a vocação para o apoio pelo lado do campo.

Roger colocou Elias no jogo para inverter com Biel e equilibrar o setor de ataque. A modificação não surtiu o efeito desejado, o problema está na origem, no meio, falta um jogador com capacidade de criação que alimente o lado direito.

O Sampaio Corrêa vivia de ligações diretas, seu meio campo não tinha poder de criação, a bola era lançada para Catatau e Poveda que eram completamente dominados pela peça defensiva gremista. Já na parte final do jogo, Natã se lesionou e precisou sair, Roger não abriu mão do esquema tático e colocou Thiago Santos como zagueiro, mantendo o controle da partida.

Na tentativa de devolver velocidade ao time e procurar ter mais profundidade, Nicolas foi colocado no lugar de Diogo Barbosa. No entanto, a ofensividade desejada não veio. O Grêmio não repetiu o bom primeiro tempo, foi um pouco menor, mas ainda marcou seu segundo gol, Diego Souza fez jogada que originou um pênalti, ele mesmo cobrou e converteu. Já no final Campaz marcou o terceiro, mas o gol foi anulado.

O Grêmio terminou a partida com mais posse de bola, 54%, finalizando menos, 9 vezes contra 11 do Sampaio Corrêa, mas criou as melhores oportunidades e teve o placar, 2 a 0. O saldo do jogo foi positivo, o time comandado por Roger Machado teve o domínio das ações, se impôs e jogou o suficiente para somar os três pontos, mereceu a vitória.



[ad_2]

Source link