O que espera Macron? Maioria no poder, parlamento suspenso ou coabitação Por Reuters

0
12

3/3
© Reuters. FOTO DE ARQUIVO: O presidente francês Emmanuel Macron recebe um convidado no Palácio do Eliseu em Paris, França, 10 de junho de 2022. REUTERS/Benoit Tessier/File Photo

2/3

Por Michel Rosa

PARIS (Reuters) – O presidente da França, Emmanuel Macron, pode se ver sem uma maioria no poder durante seu segundo mandato e incapaz de levar adiante sua agenda de reformas econômicas livremente, depois que uma nova aliança de esquerda se saiu bem no primeiro turno de votação.

A segunda rodada será no domingo. Aqui estão três resultados possíveis.

MAIORIA ABSOLUTA

Assustados com as advertências cada vez mais estridentes contra a plataforma de esquerda radical de Jean-Luc Melenchon, os eleitores elegem mais de 289 candidatos apoiados por Macron ao parlamento.

Ele terá rédea livre para conduzir seu manifesto, que inclui uma reforma da previdência contestada. Mesmo assim, é improvável que o presidente ache tão fácil passar a legislação pelo parlamento quanto durante seu primeiro mandato.

Seu ex-primeiro-ministro, Edouard Philippe, que se acredita ter ambições presidenciais, criou seu próprio partido, oficialmente parte da maioria de Macron, e provavelmente quer opinar sobre a legislação, pressionando por políticas mais conservadoras sobre pensões e déficits públicos. por exemplo.

Com uma maioria apertada, mesmo um pequeno contingente de legisladores poderia ajudar a fazer de Philippe um rei durante o segundo mandato de Macron.

PARLAMENTO SUSPENSO

A coalizão de Macron não consegue atingir a marca de 289 e não comanda a maioria dos assentos, apesar de ser o maior partido no parlamento.

Este é um evento incomum na Quinta República, e não há regra institucional a seguir para construir uma coalizão, como é o caso de países como Bélgica ou Holanda.

Macron pode ter que entrar em contato com outros partidos, provavelmente o Les Republicains, de centro-direita, para formar uma coalizão, o que provavelmente envolveria a oferta de cargos de destaque no gabinete a rivais e ajustes de manifesto em troca de apoio parlamentar.

Ele também poderia tentar roubar legisladores individualmente e oferecer adoçantes para incentivá-los a romper com seus partidos.

Caso contrário, Macron pode ser forçado a negociar projeto por projeto, garantindo apoio de centro-direita para suas reformas econômicas, por exemplo, enquanto tenta conquistar o apoio de centro-esquerda em algumas reformas sociais.

Isso diminuiria o ritmo das reformas e poderia levar a um impasse político em um país onde a construção de consenso e o trabalho de coalizão não estão enraizados na cultura política.

Mas o presidente ainda teria alguns truques na manga. Ele poderia, a qualquer momento, convocar uma nova eleição antecipada, por exemplo, ou usar o artigo 49.3 da constituição que ameaça uma nova eleição se um projeto de lei não for aprovado.

COABITAÇÃO

Melenchon desafia as pesquisas de opinião e sua aliança Nupes ganha a maioria na Assembleia Nacional. De acordo com a constituição francesa, Macron deve nomear um primeiro-ministro que tenha o apoio da câmara baixa, e a “coabitação” segue.

Macron não é obrigado a escolher a pessoa indicada pela maioria para primeiro-ministro.

No entanto, se ele se recusar a nomear Melenchon, uma luta pelo poder quase certamente se seguirá com o parlamento, com a nova maioria provavelmente rejeitando qualquer outro candidato apresentado por Macron.

A coabitação deixaria Macron com poucas alavancas de poder em suas mãos e derrubaria sua agenda de reformas. O presidente manteria a liderança em política externa, negociaria tratados internacionais, mas cederia a maior parte da formulação de políticas do dia-a-dia ao governo.

Houve poucos períodos anteriores de coabitação na França do pós-guerra. Eles normalmente levavam a uma tensão institucional entre o presidente e o primeiro-ministro, mas eram surpreendentemente populares entre o eleitorado.

As pesquisas mostram que este é o menos provável dos três resultados.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here