A repercussão internacional da imprensa, nesta quinta-feira (16/6), a morte do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista brasileiro Bruno Pereiraestavam desaparecidos desde 5 de junho no Amazonas.

Na quarta-feira (15/6), um Polícia Federal confirmou ter encontrado restos humanos na região que foi apontado por um dos suspeitos como o local onde os corpos foram escondidos.

O jornal O guardiãono qual atuava como colaborador, afirmou que o encerramento do trouxe um “triste comunidades que perigo a busca de dez ambientes e perigos indígenas a nação e destacou o crescente aos que o meio ambiente do Brasil”.

O veículo histórico também do presidente de extrema direita, Jair Bolsonaro.

O site faz O jornal New York Timesum dos mais tradicionais veículos de imprensa norte-americanos publicou o caso de Bruno e Dom é um “capítulo escuro na recente sangrenta da Amazônia”.

“Phillips começou a história grande parte de sua carreira a contar como conflito que devastou a floresta tropical, enquanto Pereira tentava proteger como tribos indígenas e meio a este conflito. Agora parece que o trabalho se tornou mortal para eles, até que ponto as pessoas estão dispostos a explorar ilegalmente a floresta tropical”, publicou o site

0

O Washington Postjornal norte-americano, publicou críticas ao discurso de Jair Bolsonaro (PL) sobre Dom Phillips ser “mal visto na Amazônia”.

“Esse caso tem sido acompanhado de perto no Brasil, onde uma das questões mais polêmicas é sobre se a floresta amazônica deve ser desenvolvida ou preservada. O presidente Jair Bolsonaro, um forte defensor do desenvolvimento, que já apoiou garimpeiros e desmatadores ilegais, culpado por seu desaparecimento. Em um comunicado na quarta-feira, ele disse que o jornalista era ‘mal visto na região’”, publicou o jornal.

Perícia

Os corpos do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo Pereira chegarão a Brasília na noite desta quinta-feira (16/6). Os remanescentes humanos foram enviados para Tabatinga (AM) e serão executados no Instituto de Criminalística da Polícia Federal. A aeronave deve chegar à capital federal por volta das 19h30.

Os restos humanos foram encontrados no local onde estavam sendo feitos como escavações, no Vale do Javari, no Amazonas. Nas redes sociais, o ministro da Justiça, Anderson PF, confirmou que a Torre PF foi identificada como restos humanos no local indicado pelos suspeitos.

As vítimas desaparecidas desde 5 de junho. A PF já prendeu duas pessoas: Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado, de 41 anos e o irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira, 41, conhecido como “Dos Santos”.

Um deles onde havia os corpos. Entretanto, novos suspeitos envolvidos na execução podem ser presos a qualquer momento.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.