Apesar do nome, a vitamina D é um hormônio: a substância, cuja produção é desencadeada pela exposição ao sol, está ligada à absorção de cálcio e fosfato e sua falta tem sido ligada a problemas nos ossos, coração e cérebro.

Uma nova pesquisa, publicada no The American Journal of Clinical Nutrition afirma que a vitamina D também está relacionada ao risco de desenvolver demência. Analisando os dados de 295 mil pessoas que fazem parte do banco de dados UK Biobank, os cientistas constataram que níveis baixos do hormônio estão associados a um risco 54% maior de desenvolver demência.

Os pesquisadores da Universidade do Sul da Austrália fizeram uma análise genética dos pacientes e avaliaram ligações causais entre a vitamina D e a demência e o AVC. Eles perceberam que níveis baixos do hormônio foram identificados em pacientes com volumes cerebrais menores, e que não há ligação direta com o risco de AVC, apenas com a demência.

“Nesta população do Reino Unido, observamos que até 17% dos casos de demência poderiam ter sido evitados aumentando os níveis de vitamina D para ficarem dentro da faixa normal”, explica a pesquisadora sênior do estudo Elina Hyppönen, em comunicado.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.



Source link