O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, pediu nesta quarta-feira, 15, uma reunião entre técnicos das Forças Armadas e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O encontro, o ofício enviado ao encontro, o presidente do Tribunal Ed, “dirimir ministro eventual eventualidade técnica” e proposto como propostas propostas pelas Forças Armadas ao TSE.

O documento foi intitulado “diálogo interinstitucional em prol do fortalecimento da democracia brasileira” e sinaliza um recuo após sucessivos questionamentos das Forças Armadas à Justiça Eleitoral.

O general afirma que a é necessária “para que se possa dar concretude ao diálogo proposto” pelo TSE. Em outro trecho, Oliveira não afirma que o Ministério da Defesa não chegou a apresentar apontamentos próprios e que só reiterou as propostas das Forças Armadas – que, segundo o ministro, foram “entendidas como essenciais para reforçar a segurança, a transparência, a confiança e a auditoria fazer processo eleitoral”.

As Forças Armas Armaram uma campanha que pedem de informação e questionamentos aos processos da Justiça Eleitoral. Ao longo dos últimos oito meses, 88 perguntas foram enviadas ao TSE. Os militares foram projetados contra o processo de organização das empresas, sem serem lançados pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).