Confira os motivos que levaram a filial do Google na Rússia a abrir um pedido de falência.

Imagem: Jay Fog / shutterstock.com

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

A filial do Google na Rússia abriu um pedido de falência depois de suas contas bancárias confiscadas pelas autoridades do país, impossibilitando o funcionamento da empresa. Um porta-voz, cujo nome não foi citado, comunicado ao Financial Times que, com apreensão, o funcionamento do escritório na Rússia está insustentável.

A empresa precisau suspender a emissão via Google Pay, encerrar a monetização de serviços de YouTube, e até denunciar crimes cibernéticos de agentes conectados ao governo. A Rússia fez um bloqueio no Google News por supostamente mostrar “notícias inautênticas” sobre a guerra.

Google está perto de declarar falência na Rússia: E agora?

Em um aviso publicado no dia 18 de maio, no Fedresurs, registro financeiro da Rússia, a unidade russa do Google afirma que prevê sua própria falência desde 22 de março deste ano.

As várias invasões da Ucrânia e as novas pressões de censura do governo nas plataformas da mídia ocidental. As autoridades da Rússia acusaram o YouTube de participar de uma “guerra de informação” contra o país e multaram a plataforma por não ter excluído “conteúdo proibido” sobre a guerra, que ocorre na Ucrânia.

Um canal, cujo dono é o acesso à TV, que apoia o governo, restaura em abril que os oficiais de justiça apreenderam 1 bilhão de roublo acesso (R$ 76,9 milhões) do Google apenas por não ter o acesso seu canal do YouTube.

Em dezembro de 2021, a Rússia cobrou do Google uma taxa de 7,2 bilhões de rublos (R$ 550 milhões) por não ter apagado um conteúdo que o Estado considera ilegal. A companhia desde a Moscou de muitos russos que invejou a multidão para os funcionários, no dia 24.

Google buscando na Rússia

Mikhail Oseevskiy, CEO da Rostelecom, provedor de internet da Rússia, disse que o Google está funcionando normalmente no país, a segunda agência de notícias Tass. A companhia atende aos serviços gratuitos para os usuários, incluindo, YouTube, Gmail, Play Android.

Por fim, apesar das autoridades recorrentes do governo russo ao Google não pretendem bloquear o YouTube nem outros sites no país.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então não siga não canal do youtube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Contração muscular e Instagram. Assim, você acompanhará tudo sobre Bancos digital, cartões de crédito, Financeiro, fintechs e relacionado ao mundo das finanças.

Imagem: Jay Fog / shutterstock.com