Vino! acelera franquias e espalha cultura do wine bar para crescer 20% este ano

0
20

CONCEITO Raphael Zanette coloca a experiência de 20 anos em enogastronomiano modelo que une bar, restaurante e loja de vinho. (Crédito: Divulgação)

Até 2002, o curitibano Raphael Zanette, formado e direito, atuava em uma administração. Mas o que gostava de fazer mesmo era participar das confrarias e de estudar em cursos de vinho. Estimulado por um amigo e pela vontade de ter um negócio próprio, inaugurado em outubro daquele ano seu empreendimento: uma franquia da loja de vinhos Expand. Era o início da jornada enogastronômica do empresário, que de lá para cá lançou o restaurante Terra Madre, C La Vie Bistrô e Olivença Cozinha Ibérica. Paralelamente, Zanette criou sua própria importadora em 2007, a Magnum. Como consequência de sua experiência no setor e as mudanças do mercado consumidor, inaugurada em 2015 o primeiro Vino! Bar, um novo conceito que reúne bar, restaurante e loja de vinhos em um único lugar. Um bar de vinhos, como ele gosta de chamar. O modelo ganhou corpo e foi replicado: quatro unidades em Curitiba, uma em São Paulo e uma em Florianópolis. Desde meados do ano passado virou franchising e é a aposta do executivo para desenvolver o Grupo Vino!, que faturou R$ 16 milhões em 2021 e espera um crescimento de 20% para este ano. “Criei esse formato olhando para experiências externas. O wine bar é mais focado na experiência do vinho, para o final de tarde com amigos, com muitas ofertas de produtos”, disse.

Atualmente são 4 contratos assinados para estabelecimentos instalados em 15 estados, em franquias negociadas pela aceleração 300, segundo a companhia, consolidando-se como a maior rede do segmento. Até agora, 12 lojas foram abertas. “Teremos um boom de abertura em 40 dias. Muitas estão em fase final de obras”, disse o empresário.

Divulgação

A procura do Grupo Vino! não é apenas por investidores. É fundamental que o franqueado seja o operador do negócio. “O bar de vinhos tem uma característica de intenção pública. Ninguém melhor que dono da operação, que prova os vinhos e conhece o portfólio, para estar à frente.” Até dezembro, a previsão é de que os contratos cheguem a 60 e em 2023, a 100. O investimento em torno de R$ 250 mil, com taxas e estoque inicial.

Uma cozinha escura em Paulo já foi testada em outras cidades, bem como em outras localidades para dar melhor aos pratos do Vino!. Todos eles foram assinados pelo chef Rodrigo Martins, responsável também pelos treinamentos nas unidades franqueadas. Com isso, segundo Zanette, as lojas já recebem os produtos prontos, como molhos os tradicionais arancinis (bolinhos de risoto). “Mantemos o padrão e geramos economia com custos de equipamento e equipe”, afirmou o restaurateur.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here