Taxa Selic mexe no Bitcoin (BTC)? Andrey Nousi, ex-JPMorgan, desvenda criptomoedas – Money Times

0
20

Andrey Nousi
Andrey Nousi, que já gerou bilhões de dólares no JPMorgan, explica que acabou a era de ganhar dinheiro fácil com bitcoin e criptomoedas. Entenda. (Imagem: Divulgação)

Principal criptomoeda do mundo, o bitcoin (BTC) atingiu o valor recorde de US$ 69 mil em novembro do ano passado. Mas, o jogo virou em 2022. E será que o ciclo de alta da taxa Selic tem com isso?

Desde a marca histórica, o acúmulo de ativos superiores a 50% — atualmente, a cotação gira em torno de US$ 30 mil. A queda drástica assustou muitos investidores.

Ainda que o mercado de criptomoedas esteja marcado por forte oscilação, o especialista Andrey Nousique durante muitos anos foi vice-presidente no JP Morgan (JPMC34) na Suíça, aponta que a recente descoberta do bitcoin é o de uma nova era para ativos deste tipo.

“Como ponto de partida, é importante entender que, assim como outros ativos financeiros, o bitcoin e as demais criptomoedas são representantes por condições macroeconômicas”, destaca Nousi, que já gerou fortunas de bilhões de dólares no banco norte-americano.

Bitcoin X Inflação

Acontece que, em razão da pressão inflacionária mundial, diversas bancos centrais estão elevando as taxas de juros para conter a alta dos preços.

Aqui no Brasil, por exemplo, um taxa Selic saiu da mínima histórica de 2% ao ano para o patamar atual de 12,75% ao ano. E há quem diga que o ciclo de alta termine em 14% a0 ano.

O Reserva Federal (Fed), uma autoridade monetária dos Estados Unidospor exemplo, elevou os juros o intervalo norte entre 0,7% e 1% ao ano recentemente – ea perspectiva de que as taxas continuam subindo é, uma vez que a inflação acumulada em 12 supera 8% na economia-americana.

Uma consequência mais altos é a valorização dos títulos públicos. Com isso, muitos investidores ativos de maior risco, como criptomoedas, e investem em considerados mais seguros”, explica o especialista, também CEO da Nousi Finance.

Nova era criptomoedas

Criado em 2009, o bitcoin se desenvolveu na última, em um contexto de taxas de juros baixas. A perspectiva para os próximos anos, contudo, é de que os pagamentos em patamares mais elevados.

“Acabou a época de ganhar dinheiro fácil com criptomoedas”, sintetiza Nousi. “Em 2021, qualquer que seja a seleção criptográfica atraentes atraentes facilmente. Já não é mais assim”, acrescenta.

De acordo com o especialista, que também é licenciado pelo CFA, a mais seleta tenha acesso às finanças do mundo, o novo cenário exige que o investidor tenha mais conhecimento sobre o mercado. Assim, recomenda-se que os entusiastas busquem se especializar no segmento.

“O bitcoin está sendo regulamentado no Brasil, assim como em outros países. Isso também afeta o mercado e, consequentemente, a cotação do ativo”, pontua.

De todo modo, Nousi indica que a oportunidade da criptomoeda também traz.

“A baixa é um bom momento para entrar no mercado, sobretudo no que mais deu rentabilidade nos últimos anos”, sugere.

Entre para o nosso Telegram!

Faça parte do grupo do Crypto Times no Telegram. Você acessa as notícias do mundo cripto em tempo real e ainda pode participar das discussões da comunidade. Entre agora para o grupo do Crypto Times no Telegram!

Isenção de responsabilidade

O Tempos de dinheiro publica informativas, de caráter jornalístico. Essa não constitui uma constituição de investimento.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here