Mulher passa mais de 24 horas com barata no ouvido – Fatos Desconhecidos

0
16

Imagine acordar com a sensação de algo passando por cima do seu corpo enquanto você dorme. Agora imagine que seja um inseto, um dos mais renegados de todo o reino animal: uma barata. Para piorar, imagine que essa barata entre no seu e fique presa lá dentro, com você escutando e sentindo ela se mexer. Muitos isso é um verdadeiro pesadelo, e com razão.

Porém, o pesadelo virou realidade para uma mulher que precisou passar 24 longas com uma barata no ouvido em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Assim, Aline Lopes contorno em entrevista ao G1 que, na madrugada do domingo (5), acordou em último desespero por conta da barata em seu ouvido.

Aline estava na casa de sua sogra, localizada no bairro Jardim Esperança. Com o caso do inseto, ela decidiu seguir para o hospital do bairro. No entanto, segundo ela, não havia especialista de plantação e nem material para realizar a cirurgia.

Aline destaca que os profissionais foram preocupados com o atendimento, apesar do despreparo, e da orientação que ela busca em Macaé ou então em São Pedro da Aldeia. Na unidade, os enfermeiros tentaram tirar a barata usando um su certo, visto que não era o necessário para o procedimento.

Barata entra no ouvido de mulher no Rio

Getty Images/iStockphoto

“Uma doutora tentou tirar o bicho com o sugador e começou a mexer no meu ouvido de novo, que já tava com o tímpano muito machucado por conta da barata e por conta do alicate que estavam enfiando. Eu senti muita dor e eles me sedaram”, disse Aline.

Além disso, a paciente disse que os profissionais da unidade de saúde São Pedro tentaram com que ela conseguiu uma transferência para um hospital do Rio, mas não foi vaga para Aline.

Então, na segunda-feira (6), o médico de uma clínica particular, Dr. André Defaveri, tomou conhecimento do caso de Aline e entrou em contato com o paciente. Portanto, o procedimento delatorrinolaring realizou o procedimento para retirar a recuperação do médico, sem que esperar o médico.

A Prefeitura de Cabo Frio e de São Pedro da Aldeia emitiram notas sobre o atendimento que Aline teve nas unidades de saúde.

Nota da Prefeitura de São Pedro da Aldeia

“A Secretaria de Saúde informa que um paciente, moradora de Cabo Frio, deu entrada no Pronto Socorro de São Pedro no domingo (05/06), com relato de corpo estranho no ouvido direito (barata).”

“A paciente ocorreu e também que ocorreu em outro hospital, porém, ocorreu sem sucesso. A gestão municipal solícita avaliação do otorrinolaringologista, onde foi regulada via SER – Sistema Estadual de Regulação, negada pelo Hospital Estadual Roberto Chabo (HERC), referência na região, por ser fora do perfil da unidade.”

“A Secretaria de Saúde solícita, ainda, a vaga zero (urgência) à Central Estadual de Regulação e fez contato com o município de Cabo Frio, onde conseguiu o atendimento com o otorrino do ambulatório do PAM cabofriense. Ao comunicar ao paciente, a mesma informou que havia atendimento em uma clínica particular”.

Nota da Prefeitura de Cabo Frio

“A Prefeitura de Cabo Frio informa que o atendimento ao paciente em questão foi realizado na emergência do Hospital Otime Cardoso dos Santos. Por se tratar de um caso específico, em que é necessária a atuação do médico especialista, foi agendado o atendimento no PAM de São Cristóvão, para hoje [na última segunda], às 11h, com um otorrinolaringologista. Contudo, a paciente conseguiu atendimento antes deste horário em clínica particular”.

Dessa forma, a Prefeitura de Cabo Frio informou que havia um agendamento feito no PAM. Porém, a paciente afirma que não recebeu o comunicado de tal agendamento.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here