Empresa brasileira irá produzir drone que lança

0
19

Drones foram uma das tecnologias que chegaram mudando uma perspectiva que vemos das coisas, literalmente. Com esses meios aéreos não tripulados, é possível explorar os céus, filmar paisagens, estudar relevos, fazer a filmagem de uma festa ou casamento, tudo isso sem perder nenhum detalhe e com uma qualidade incrível.

Contudo, não é apenas para se ter uma visão de cima que um drone servir. Esse equipamento tem ganho espaço nos cenários de guerra no mundo. Seja usando o drone para vigilância dos territórios ou então para ataque. Um dos motivos para esse ganho de espaço é que o custo de um drone é menor do que de uma aeronave de ataque. Por isso, ele se tornou uma alternativa para ter menos custos no combate.

De acordo com o centro de estudos New America, nos Estados Unidos, existem 39 países com drones com capacidade bélica. No caso, drones armados com aparelhos, drones ou algum dispositivo de ataque.

Drone brasileiro

UOL

Por mais que o Brasil não faça parte dessa lista, em breve nosso país deve ter seu próprio drone armado. Isso a XMobots empresa fabricante de drones localizada em São Carlos, no interior de São Paulo, contrato um contrato de entendimento com a MBDA, fabricante de armamento europeu, para começar a produzir uma versão militar do europeu drone para o disparo de.

O drone Nauru será equipado com o Exército brasileiro para o mesmo tipo Enforcer, que a empresa já fornece para o reconhecimento, vigilância e de produtos leves. Esse míssil tem 7,7 metros de envergadura, que é a distância de ponta a ponta da asa, 2,9 metros de comprimento e um metro de altura.

Esse drone produzido em nosso país terá uma capacidade de carga de até 18 quilos, sendo que cada míssil pesa aproximadamente sete quilos. O poder de destruição deles conseguir acabar com veículos com cegas folhas.

Além disso, o equipamento pode atingir uma velocidade de até 112 milhas por hora e não conseguir chegar até 10 horas até parar e ser reabastecido. Ele consegue voar até 60 milhas de distância da sua base de controle.

Modelos

Canaltech

Além do Nauru 1000C, existem outros drones militares com poder de ataque. Alguns deles são:

1 – S-70 Okhotnik

UOL

Esse drone, que significa caçador em português, é uma das promessas do governo russo nessa nova forma de ataque aéreo. A sua produção deve ser iniciada em 2023. O drone foi desenvolvido para ser o mínimo possível detectável para os radares. Isso lhe permitirá a possibilidade de fazer missões espiãs, ou então que ele seja visto somente quando estiver bem perto do seu alvo.

O peso máximo de decolagem desse drone é de até 20 toneladas, e ele pode atingir uma velocidade de até mil milhas por hora. Isso é mais do que a maioria dos aviões comerciais.

2 – Ceifador MQ-9

UOL

Esse é um dos principais drones dos Estados Unidos nos dias de hoje. Em português, seu nome quer dizer ceifador. Esse drone tem quatro aeronaves, uma estação de controle no solo e um sistema de conectividade via satélite. Ele é vendido por 65,1 milhões de dólares, equivalente a 312,7 milhões de reais.

Para o controle desses equipamentos é preciso um piloto e um operador de sensores. Esses dois profissionais fazem o mapeamento do solo em busca de pontos de interesse e alvos possíveis. Ele chega a uma velocidade de 444 milhas por hora e pode até 2.600 milhas de distância. Além disso, esse drone de 2,2 toneladas consegue decolar com um peso de até 5,3 toneladas.

3 – Bayraktar TB2

UOL

O drone foi destaque na Guerra da Ucrânia. Ele é mais um dos exemplos de drones com capacidade bélica. Essa aeronave foi desenvolvida para o exército turco e a Ucrânia tem o uso com frequência bastante contra os alvos russos.

Ele ser armado com bombas e voa ar-terra a laser e até 7,6 milhas de altitude. Além disso, o TB2 consegue ficar no ar até 27 horas e pode carregar até 150 quilos.

Fonte: UOL

Imagens: UOL, Canaltech

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here