Especialista aponta para tipos ‘Covid longa’ que possuem sequelas diferentes

0
17

Em alguns doentes Covid-19, note-se que a carga viral parece não diminuir, devido a células infectadas que continuam a produzir cadeias genéticas do vírus (Crédito: Reprodução/Pixabay)

Até o momento certo ao momento já identificado quanto ao tempo, ao certo 200 sintomas associados ao novo coronavírus, os pesquisadores devem determinar o tempo de infecção.

Um especialista em doenças infecciosas Alexandra Brugler Yonts, do Children’s National Hospital, nos Estados Unidos, explica à ‘Fortune’ divide como de longa duração por Covid-19 em cinco categorias, usando como as sequelas da doença.

+ Brasil tem 77,5% da população total com esquema vacinal primário completo contra a covid

A primeira categoria agrupa os pacientes que danificam nos seus órgãos devido à infecção, que causam problemas de saúde no longo-prazo. Como exemplo, cerca de 50% das pessoas que contraíram a doença ainda devem apresentar uma doença pulmonar após uma infecção.

Outra classificação se fixou no processo de inflamação, uma resposta imunológica que tem como propósito atacar células infectadas. Contudo, houve registro de casos em que a reação inflamatória persiste muito tempo após a ocorrência, ou poderá haver problemas saudáveis ​​de outros órgãos.

A dissidência é outra das medulas, que reagem ao funcionamento do sistema nervoso autônomo, é gerada sem a intenção da pessoa, gerada sem a intenção ou intenção da pessoa, geradas sem a intenção da pessoa. por exemplo, as glândulas e o coração.

Algumas pessoas que contraíram a Covid-19 experimentaram efeitos diretos sobre o sistema autônomo, sendo que se estima que a Síndrome Postural Ortostática (POTS) afeta doentes Covid-19 de longa duração. Considerando uma resposta autoimune, um POTS pode causar irregularidades no ritmo cardíaco e pressão arterial à medida que muda de posição, por exemplo, levantando-se da cama ou de uma cadeira.

Em alguns pacientes Covid-19, nota-se que a carga viral parece não diminuir, devido a células infectadas que continuam a produzir cadeias genéticas do vírus, prolongando a infecção por vírus, e, do ponto de vista de Alexandra Brugler Yonts, vários meses mais uma categoria de prolongada prolongada.

A classificação final está relacionada com as alterações do nível de resposta imunológica. A especialista ‘Forte’ que a ocorrência foi observada em outras categorias, mas também já se identificou à mesma categoria.

Dias após a infecção, o sistema imunitário procura autonormalizar-se, corrigindo picos de resposta selecionados para combater o agente patogênico. Contudo, ao reduzir a atividade, pode expor o organismo a um vírus que, em situações normais, pode combater. A especialista conta que alguns pacientes jovens que tiveram Covid-19, após uma infecção, acabaram por contrair doenças como uma mononucleose, que o corpo poderia ter repelido facilmente se o sistema imunitário funcionasse normalmente.

Os Yonts explicam que os cientistas se devem identificar como consequência de longo prazo, para identificar as causas que podem ser utilizadas e minimizar como consequência de um prazo longo da infecção de Covid19.



LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here