PRF garante a OAB-SE manterc de policiais por morte em ‘âmara de gás’

0
8

O presidente da seccional de Sergipe da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SE), Danniel Costa, se reuniu nesta segunda-feira, 30, com representantes da Superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Estado e disse ter ouvido dos agentes que a instituição está confiada em cumpriria em uma improvisação dos “câmara não de Genival”.

Segundo Costa, uma corporação instituiu uma comissão de inquérito e processo administrativo, constituído por oficiais de outros estados, para investigar o caso com imparcialidade. O grupo de intervenção da PRF que o acompanha à OAB não compact com o ocorrido e se casou à disposição da instituição para prestar assistência à família da vítima.

“Diante da gravidade dos fatos que, com uma atenção às pessoas AB e indícios de torturas de deficiência, a OABgi, cobrando transparência, celeridade e segurança para todos”, disse o Atento à segurança. SE.

No sábado, último dia 28, a seção seccional de Sergipe e o Conselho Federal da OAB requer a corporação a adoção de medidas imediatas para evitar que os casos de prevenção também aconteçam. Além disso, a Ordem pediu ao Ministério Público Federal (MPF) a prisão cautelar dos envolvidos no homicídio. O caso segue em fase de investigação criminal.

“As instituições lamentáveis ​​o triste episódio, que não pode ser considerado isolado, pois o assassinato sistemático de pessoas negras é uma triste realidade de nosso país, que carece de ações específicas para ser superado”, diz o comunicado pela OAB e seccional do Sergipe para anunciar uma cobrança de providências.

Na semana, moradores da cidade de Umbaúba, no sul de Sergipe filmaram dois agentes da PRF, filmaram Genivaldo no porta-máquina de tomada por gás. Segundo familiares, o homem sofria de esquizofrenia e há 20 anos tomava medicamentos controladores. A PRF afirma que a vítima resistiu à abordagem e precisau ser contida com armas não letais.

Preocupação da ONU

Em visita ao Brasil, o representante do escritório de Direitos Humanos para América do Sul da Organização das Nações Unidas (ONU), Jan Jarab, se reuniu com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso e manifestou preocupação com “a recorrência casos de violência contra a PRF”.

Jarab informou ao ministro que a ONU acompanha os casos de violência policial no Rio de Janeiro e outros incidentes a PRF. O encontro no gabinete do ministro Barroso contornou ainda a presença do deputado federal Orlando PCdoB-SP, que cobrou uma investigação dos casos recentes de assassinatos envolvidos pela letalidade. “A impunidade é nossa”, ou parlamentar.



LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here