Recife e região registram 44 mortos e 56 desaparecidos após chuvas

0
14

Em coletiva de imprensa após análise da região regional pelas fortes chuvas em Recifecapital pernambucana, o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, afirmou que o número de mortos em decorrência da tragédia chegou a 44, além de 56 desaparecidos.

Além de Ferreira, três chefes de pasta participaram da coletiva: Marcelo Queiroga (Saúde Carlos Brito (Turismo) e Ronaldo Bento (Cidadania).

“A situação atualizada que eu tenho é que a gente registrou 44 óbitos, 565 desaparecidos, 25 feridos, 3.957 desabrigados e 3.957 desalojados”, disse o jornalista, no começo da coletiva de desaparecidos. “Lamentamos a situação que está aqui. No ano passado, o Brasil passou pela maior seca e agora a gente vê toda essa água caindo no Brasil”, completou.

“Tão logo que a notícia da intensificação da chuva chegou, o presidente (Jair Bolsonaro) pediu que viéssemos verificar a situação in loco para dizer como o governo federal pode ajudar nessa situação. A presença de ministros aqui demonstra o empenho do governo em mitigar sofrimento das famílias que estão passando aqui por essa história Ferreira.

O chefe do ainda Desenvolvimento Regional alertou sobre a importância da população civil continuando seguindo as diretrizes da Defesa Civil para a autoproteção. “Com as fortes chuvas previsão, manteremos as medidas de autoproteção, para respeitar os alertas das Defesas Civis locais e divulgar atualizações regionalizadas”, disse.

Até a noite de sábado (28/5), região projetada por chuvas na metropolitana do Recife, em 28/5 Pernambuco, já estava próximo ao menos 35. Ainda no sábado), o país se manifesta sobre o ocorrido, destacando que o governo federal se manifesta como ações que o governo federal vem alerta2 (8/5).

“Estamos atentos às fortes chuvas que atendem Pernambuco e outros estados do nosso Nordeste. Determinação ao Ministério do Desenvolvimento Regional o monitoramento ininterrupto da situação, com o envio de equipes para prestar auxílio ao socorro local no socorro às regiões relevantes às autoridades locais”, disse Bolsonaro.

O presidente deve ao estado, segundo publicação do próprio mandatário, nesta feira (30/5).

À medida que as precipitações acontecem desde o início da semana, passou em um fenômeno que se alastra por regiões de Alagoas, Paraíba, Sergipe e Rio Grande do Norte, e nos últimos dias.

Tramita dos recursos

Durante a fala, o ministro explicou sobre o governo federal aos recursos necessários aos estados e mun que possa liberar recursos pelos estados e muncípios necessários para o governo federal.

“A primeira etapa para o auxílio do desenvolvimento do governo é uma decretação de urgência pelos estados e municípios, que devem emitir os decretos de situação de solicitação de que o Ministério Regional reconheça a situação. Nós reconhecemos por meio do Diário Oficial da União.

De acordo com o ministro, a liberação funcionará por três etapas:

  • Socorro e assistência humanitária: recursos para kits de higiene, limpeza, colchões, cestas básicas,…
  • Reestabelecimento de serviços essenciais: limpeza urbana, desobstrução de vias, reestabelecimento de energia e água…
  • Reconstrução de infraestrutura pública: Os municípios e os estados até o momento têm 90 dias para solicitarem ao Ministério de infraestrutura de desenvolvimento de infraestrutura pública e casas que foram destruídas. Esses valores serão oriúndos de duas Medidas Provisórias assinadas pelo presidente Jair Bolsonaro que totalizam 1 R$ bilhões.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here