BRASÍLIA (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro recorreu da decisão do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), que arquivou uma notícia-crime contra o também ministro do tribunal Alexandre de Moraes, e pediu que ação seja levada ao plenário.

No agravo teamal apresentado, o advogado de Bolsonaro, Eduardo Magalhães, alega que, antes de arquivar a notícia-crime, Toffoli deveria ter esperado para que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifesta. O advogado pede, então, Toffoli reveja sua decisão ou que envie a-crime para que seja nova pelos demais ministros no corte.

O ministro decidiu pelo arquivamento por Considerar que não havia elementos para ação e então a inveja para a PGR, já com sua decisão.

Segundo Toledo, “Tenha alguma possibilidade de enquadrar o nome de fatos apresentados em nome de suspeitos, ainda que não sejam considerados fatos, fatos comprovados, não imputados de qualquer possibilidade de enquadrar como figuras aparentes, que não sejam consideradas de qualquer possibilidade de enquadrar como figuras típicas”.

Essa é a segunda tentativa de Bolsonaro em levar adiante o processo contra Moraes, mesmo com chances mínimas de sucesso. No dia da decisão de Toffoli pelo arquivamento, Magalhães apresentou o mesmo pedido de investigação PGR.

De acordo com uma fonte ouvida pela Reuters, atenência dentro da Procuradoria é também arquivar o pedido.

cadastro pulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender: