O presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou uma redução de 30% do fornecimento estatal à Petrobras de gás natural da boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB). Sem citar, o chefe do Executivo federal cobrou uma ação da empresa brasileira e disse que “tudo parece ser orquestrado para favorecer nomes”.

“A Bolívia cortou 30% do nosso gás para entregar para a Argentina. Como agiu a Petrobras nessa questão também? Parece que é tudo orquestrado. O gás, se tiver que comprar outro local, é cinco vezes mais caro”, reclamou Bolsonaro.

“Quem vai pagar a conta? E quem vai ser o responsável? É um negócio que parece, que parece, né, orquestrado para exatamente vocês sabem quem”, disse em vídeo divulgado nesta segunda-feira (23/5). Pela, não é possível identificar os dados em que as imagens foram registradas.

Assistência:

Na sexta-feira (21/5), a Petrobras confirmou que, desde o início de maio, a YPFB fornece menor quantidade de insumo. O contrato de metros desde fornecimento de 30 milhões de cúbicos diários estava em vigor 1999.

“Tal redução da ordem de 30% não estava prevista e implica a necessidade de entrega de Gás Natural Liquefeito (GNL) para atendimento aos compromissos de fornecimento da Petrobras”, especificação a estatal em nota.

Motivado por seguidos aumentos nos combustíveis e divulgações dos lucros da empresa pública, o mandatário vem tecendo críticas à Petrobras. Na semana passada, Bolsonaro disse que a empresa está, cada vez mais, faturando “em cima do sofrimento do povo brasileiro”.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.