Bancos já bloquearam valores de Daniel Silveira; confira valor

0
51

Bancos já bloquearam valores de Daniel Silveira. As informações foram passadas por instituições financeiras ao STF. A medida atende a decisão do ministro do Supremo, Alexandre de Moraes.

O deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) já teve o total de R$ 122 mil bloqueados por três bancos após ignorar a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal quanto ao uso de tornozeleira eletrônica, além do descumprimento de outras medidas. Ao todo, o parlamentar deve pagar uma multa de R$ 405 mil.

Bloqueios anunciados por bancos

acordo com o anúncio do Banco do Brasil à Corte, a instituição bloqueou R$ 7.299 da conta salário do deputado. Em tomada na terça-feira (03), Moraes decidiu que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur LiraPP-AL), realizou o bloqueio de 25% do salário do parlamento (até que pagaria o pagamento integral da multa sofrida.

Outro movimento realizado por parte das instituições financeiras, foi feito pelo banco BTG que comunicou ao STF o bloqueio de R$ 10.802 referências a um ativo de baixa pertencendo ao deputado.

Já na quinta-feira (05), o Bradesco anunciou o bloqueio de R$ 561 em investimentos de Daniel Silveira, que se encontram fora da conta corrente, depositados em uma conta em agência da cidade de Itaipava, no Rio de Janeiro.

Na sexta-feira (06), o banco anunciou um novo bloqueio. Em ofício enviado ao ministro do Supremo, o Bradesco listou R$ 103.458,23 aplicados em CDBs (Certificados de Depósito Bancário), até o momento, o valor corresponde ao maior montante bloqueado em determinação do STF. Ainda durante a sexta, o Bradesco comunicou sobre o bloqueio de mais R$ 1 mil em conta corrente do deputado.

O Banco Central informou ao ministro Moraes que recebeu um ofício através do qual a Corte solicitar o bloqueio das contas de Silveira.

O mesmo argumento sobre o processo, o ministro Morais a validar da trato diante do deputado Jair ter concedido perdão para as penas de Bolsonaro executar o julgamento pelo deputado Daniel foi a pena. De acordo com a decisão de Alexandre Moraes, o ato de ligação com a obrigação de qualquer medida, não tem a obrigatoriedade de concessão com a reserva com garantia de qualquer medida independentemente.

Hannah Aragão

Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de negócios para o portal FDR.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here