Zé Neto e Cristiano saíram em defesa do presidente Bolsonaro durante um show realizado em Sorriso, Mato Grosso, na quarta-feira (12). A dupla sertanejo também aproveitou a oportunidade para criticar a Lei Rouanet e alfinetar a cantora Anitta, que é assumidamente contra o chefe do Executivo.

Zé Neto e Cristiano são a favor de Bolsonaro

A dupla sertaneja Zé Neto e Cristiano fez um discurso que viralizou na web a favor de Bolsonaro. “Sorriso, Mato Grosso, um dos Estados que sustentau o Brasil durante a pandemia”, diz o cantor Zé Neto em um vídeo publicado nas redes sociais.

O famoso foi bastante crítico em relação a Lei Rounet. “Nós somos artistas que não dependemos de Lei Rouanet. O nosso cache quem paga é o povo”, continua. “A gente não precisa fazer tatuagem no ‘t***’ pra mostrar se a gente tá bem ou não. A gente vem aqui e canta”, disse simplesmente. Os internautas interpretaram como uma indireta para a cantora Anitta, que no ano passado publicou um vídeo no site OnlyFans fazendo uma tatuagem anal. “E o Brasil inteiro canta com a gente… Olha aqui, oh, será que tá ruim?”, termina o cantor.

O discurso desagradou parte do público da web, que chamou Zé Neto de hipócrita pela crítica Anitta – o cantor sempre posta fotos de sunga em suas redes sociais, que causam burburinho.

Foto: Reprodução/Twitter

Polêmicas

Essa não é a primeira vez que o cantor Zé Neto envolve em polêmicas. Com a repercussão do discurso no show, os internauta dá uma entrevista famosa em um vídeo de 2018 no qual manteria relações sexuais com uma égua enquanto morava na fazenda.

“Você comia uma égua?”, pergunta do apresentador Fidelis. “Hoje você fala pa pa pa, zoofilia, mas como você explica para uma criança de 4 anos o que é zoofilia. Tenho foto dela hoje na minha carteira, ela chamava Menina, era o que a gente tinha na roça, até ter ciúme dos coleguinhas com ela”.

No ano passado, o cantor também foi acusado de homofobia durante uma live realizada no canal do YouTube da dupla. Zé Neto, que torce para o Palmeiras, perdeu uma aposta com o colega e teve que cumprir uma promessa. Ele vestiu uma camisa do São Paulo e fez gestos que insinuaram um comportamento afeminado e andou rebolando.

Os internautas acusaram o cantor de homofobia, e ele pediu desculpas. “É tudo uma brincadeira, igual o pessoal tira sarro e brinca que corintiano e palmeirense são tal coisa. Se alguém se sentiu ofendido, do fundo do coração essa não foi a intenção”, disse.

A dupla é publicamente apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro. Em 2019, os cantores dedicaram-se ao Vitória no Troféu Melhores do Ano, do Domingão do Faustão, ao chefe do executivo. “Alô, Bolsonaro! Capitão! Esse daqui é pra você, melhores do ano. Por ter certeza de que você vai ser o presidente do ano, o melhor da história desse país”, disse.

+ Michelle Barros saiu da Globo: jornalista pede demissão da emissora