Quanto o Brasil gasta para produzir como moedas? E como cédulas?

0
46

Pontos-chave

  • Custo de fabricação da moeda vem caindo 2018
  • Contratação da casa da moeda da Holanda pode ser uma das razões
  • Moedas de 5, 10 e 25 centavos creme mais caro para serem feitas do que o seu valor de rosto

UMA fabricação de cédulas e moedas de real ficou mais em conta nos últimos anos. Em média, o custo que estava crescendo desde 2016, começou a cair a partir de 2018. Um exemplo é a moeda de 5 centavos, que em 2016 custou R$0,28 para ser fabricada. Já em 2018, o valor caiu para R$0,20. No seguinte, o preço caiu novamente, para R$0,14. As informações são do Banco Central.

Um dos motivos que podem cair no preço foi a explicação da contratação da Casa da Moeda Holandesa, a Casa da Moeda da Holanda, para produzir um lote de moedas de 5 centavos e de 50 centavos, em 219. 30% das moedas de 5 centavos não ano de 2019 (97,2 milhões de unidades) e quase 25% das moedas de 50 centavos (47,2 milhões de unidades) foram fabricadas na Holanda.

A moeda de moeda do governo de princípio1 era contratar uma das moedas de moeda de todos os valores, no entanto não apresentará os preços de fabricação no mercado, em especial por conta da hora de fabricação de moedas e 25 também a de R$ 1. Por conta disso, as moedas destes valores seguiram sendo fabricadas pela Casa da Moeda do Brasil.

Quando fabricadas no Brasil Mesmo pela casa da Moeda, como fabricadas no Brasil Mesmo pela casa da Moeda, como fabricadas são utilizadas recursos e-primas nacionais e importadas, e existem variações de preços no mercado interno e externo, divulgados o BC.

Também foi explicado pelo Banco Central que o motivo principal para os preços é a quantidade produzida. Ao fabricar grandes valores, é possível adquirir médio por menos, e o preço pode ser menor.

Atualmente, somente como moedas de 5, 10 e 25 centavos.

Como saber quais moedas foram fabricadas na Holanda

Para saber quais moedas feitas na Holanda, o governo foi determinado A que fosse estampado a letra do lado esquerdo do ano “2019”. Sendo assim, se você achar uma moeda ano com a letra, significa que sua fabricação foi feita na Holanda.

O governador já havia contratado empresas estrangeiras para produzir o real anteriormente. Em 2017, a empresa sueca Crane AB fabricou 100 milhões de cédulas de R$ 2.

Como forma de identificar essas cédulas, em vez do nome do Banco Central do Brasil ser impresso no verso da nota, quem pegava a nota via escrito Crane AB. Existe ainda uma outra forma de identificar-las é olhar o número de série dessas cédulas, que semper começa com o código “DZ”.

Total em circulação

De acordo com dados do Banco Central, atualmente nenhum país está em circulação cerca de 6,438 milhões de cédulas de real. A nota com mais unidades em circulação é de R$ 50: 1.934 milhões.

A quantidade de moedas é de 26.745 milhões de unidades. A de R$ 0,10 é a que tem mais unidades em circulação, com 7.092 milhões de unidades.

O BC disse ainda que entre 2011 e 2012, as cédulas de R$ 2, R$ 5 e R$ 10 duravam em média 14 meses. Como notas de R$ 20, em torno de 16 meses, e como de R$ 50 e R$ 100, em torno de 36 meses. Não existem dados sobre a duração média da nota de R$ 200.

O que diz a Casa da Moeda

À CNN, a Casa da Moeda diss que “a redução do custo médio de cédulas e moedas desde 2016 de ganhos de eficiência na Casa da Moeda do Brasil, que forneceu a redução do custo médio de cédulas e moedas desde 2016, não de fornecimentos estrangeiros por fornecedor”.

“A Royal Dutch Mint, citada na matéria, é uma produtora exclusiva das moedas de seu país, a Holanda. Sua capacidade excedente a países que é vendida a margem de custo ao interesse comercial privado. A Casa da Moeda do Brasil sempre terá o compromisso em manter a autossuficiência nacional, os custos relacionados a essa opção”.

Paulo Amorim

Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDRonde já cumula vasta experiência e pesquisas, buscando economia, finanças e investimentos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here