5G ‘puro’ nas capitais pode ficar só para setembro; entender

0
53

Quem foi iniciado o início das operações do 5G ‘puro’ ou autônomo nas capitais, pode ter que aguardar mais que o esperado. A proposta do Gaispi, o Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência, é adiar a implantação da nova tecnologia de rede móvel para o fim de setembro.

Ilustração de tecnologia 5G
Imagem: ShutterBestStudio/Shutterstock

Vale lembrar que o prazo inicial previsto pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) era até 31 de julho de 2022. Com o adiamento, os novos prazos para o 5G ‘puro’ funcionar nas capitais ficarão assim: a liberação da faixa de 3,3 a 3,7 gigahertz (GHz), previsto para agosto, até 30 de agosto, passando para 29 de agosto. Isso, o prazo de entrega das antenas para a distribuição do sinal, que era 31 de julho, para 29 de setembro.

publicidade

Leia mais:

Posicionamento da Anatel

Vale saber, segundo a agência, o edital do 5G já que os dados originais poderiam ser adiadas caso fossem difíceis técnicas.

A justificativa de Covid-19 é contra a falta de condições impostas pelo mercado chinês para conter a falta de condições impostas pelo mercado e as condições de restrição da China para conter os novos critérios de restrição na China. “A demora no despacho de semidutores como projeto de transporte aéreo de transporte aéreo de transporte de carga para a Anatel.

O que é o Gaispi?

A faixa de frequência leiloada para o 5G era destinada à transmissão via satélite de canais de TV. O Gais, presidido pelo conselheiro da Anatel, Moisés Moreira, foi criado exatamente para eventuais problemas de interferência na rede da Anatel.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no Youtube? inscreva-se no nosso canal!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here