Marisa (AMAR3) tem prejuízo 44,5% maior, mas vendas acima da pandemia

0
43

uma viagem marisa (AMAR3) teve lucro líquido de R$ 77,2 milhões no balanço do primeiro trimestre, ou seja, um aumento de 44,5% das perdas em relação ao mesmo período do ano passado, de R$ 53,4 milhões.

Segundo a empresa, o resultado líquido é reflexo da queda do período e da redução do resultado líquido ao longo do trimestre da queda.

“Isso, somado ao aumento de perdas para as espécies do lado do Mbank e conservadores na operação para o enfrente de um cenário macro mais projetado, visão deliberada ao resultado líquido ainda negativo no trimestre”, deta a empresa no relatório de administração que acompanha o .

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado total recuou 54,4%, para R$ 30,3 milhões no 1T22, contra os R$ 66,4 milhões do 1T21.

A empresa justifica o resultado dizendo que refletiu “a baixa diluição das despesas operacionais do varejo, devido ao volume de vendas sazonalmente – característico do primeiro triestre do ano –, somado à alta da inadimplência observada no início do ano”.

Receitas da Marisa

a receita líquida do varejo subiu 49,9%, chegando a R$ 434,8 milhões neste primeiro trimestre de 2022, em relação aos R$ 290,0 milhões de um ano atrás.

As vendas nas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) cresceram 48,0% no 1T22, na comparação com o 1T21.

Em relação ao primeiro triestre de 2019, período pré-pandemia, as vendas SSS subiram 1,5%.

“A queda ocorreu mais defluxo em janeiro – e efeitos combinados meses depois de uma recuperação expressiva de SSS nos meses seguintes, com alta de 14% e 10% vs os meses de fevereiro de 2019”, explica Roxas Marisa.

“Nossas lojas de rua tiveram uma recuperação mais modesta que como de compras, que se beneficiam mais com uma retomada de fluxo”, segue a empresa.

“Vale destacar que tais níveis de SSS, apesar de a recomposição de preço como principal driver – fruto dos menores níveis de promoção de desconto – também melhorias importantes nos níveis de conversão e recuperação de gripe”.

Lojas fisicas e digitais

No 1º triestre, a operação de lojas físicas teve alta de 57,4% ante o 1T21 e queda de 5,2% em relação à pré-pandemia do 1T19.

Com resultado ao digital, a Lojas Marisa, “dada a base de comparação comparativa bastante elevada de 2021, as vendas do nosso canal estável estável contra ano, ao mesmo tempo registrando uma alta relação de 146% contra ano, ao mesmo tempo registrando uma alta de 146 1T19 – forte indicativo de como a companhia conseguiu entregar uma plataforma robusta desde o lançamento do aplicativo em 2020”.

A participação digital nas vendas totais foi de 10,9%, o que responde a um crescimento de 4,2% após a pré-pandemia (1T19). Entretanto, houve recuo de 16,2%, por conta da reabertura das lojas físicas.

As despesas com vendas chegaram a R$ 277,3 milhões, e cresceram em relação ao 1T21 (8,7%, mas queda de 9,1% em termos reais, descontando a inflação).

Oportunidade competitiva? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. ajudante de marinheiro.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here