Motivados urnas, ou da França vão às nossas

0
34

Motivados urnas, ou da França vão às nossas

Eleitores após eleição de seus eleitos, em Lyon, decidirão votos para o segundo turno da eleição francesa em 24 de abril de 2022

Nos arredores de Paris ao coração da Borgonha, do Pacífico Sul à Bretanha, milhões de franceses se mobilizaram neste domingo (24) para cumprir seu “dever” ou, inclusive, “evitar uma guerra”. Outros, desiludidos, preferiram ignorar como urnas.

Quase 49 milhões de decidirão estão aptos a escolher entre o mandatário centrista Emmanuel Macron, e o ultradireitista Marine Le Pen no segundo turno da eleição presidencial em plenas férias escolares na França.

Na escola Trégain, em um bairro de Rennes (oeste), a jornada começa “mais tranquila que há duas semanas”, quando “não fez nenhuma pausa”, explica Fabien Toulemonde, de 47 anos, e a eleição da seção eleitoral 151.

Yolande Yédagni, uma desempregada de 57 anos, considera “um dever ir votar” e se diz tranquila sobre o resultado da votação, ao contrário de Bernard Maugier, de 76 anos. Este aposentado com gorro “NY” assegura que votou “para evitar uma guerra civil”.

“Entre a peste ea raiva, devemos tomar a decisão correta”, Pierre Charollais, um aposentado de 67 anos, advogando diz um “voto responsável” em contexto “particular” pela guerra na Ucrânia e pela francesa da União Europeia (UE ).

– Nenhuma esperança –

No sudeste de Paris, no pequeno centro de votação instalado em uma escola infantil de Maisons-Alfort há movimento. “As pessoas agendarão o logotipo, até às 8h00 (12h00 de Brasília), a fim de irem para as férias em seguida”, explica uma representante.

Os chegam lentamente pela manhã. Na fila, Anny Platroze, de 76 anos, que “pela primeira vez” em sua vida não sabia em qual candidato votante no primeiro turno, já não possui “nenhuma esperança”.

Porém, votou, uma anos, como Ká27, que o fez “sem zero por resultado, um pouco farta” e “medo do que vendedor, de acordo com o resultado”. “O povo que se queixa e não vota apenas pode fechar a boca”, sentença um engenheiro de 46 anos.

No sudeste do sudeste, nos Pirineus, nos Pirineus, Jean Lassa, o candidato derrotado no primeiro turno da urna, finalmente decidiu se abster diante da urna em seu colégio eleitoral de Lour da presidência-Ichère, reconheceu uma fotógrafa da AFP.

O candidato ruralista, que obteve 3,13% dos votos em 10 de abril, anunciou, em um primeiro momento, que votaria em altura em branco mas decidiu que esse voto “já não estava decidida à” a uma situação “preocupante”, assegurou à AFP.

burs-jk-tjc/zm/dd


Saiba mais

+ Nova Montana: 3ª geração da picape da Chevrolet chega em 2023
+ Ômicron: Sintoma inesperado da emergência em crianças preocupações médicas
+ Vendedores do Mercadão de SP ameaçam clientes com golpe da fruta
+ Vídeo: Mãe é atacada nas redes sociais ao usar roupa justa para levar filho à escola
+ Horóscopo: confira uma previsão de hoje para seu signo
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ ‘Ictiossauro-monstro’ é descoberto na Colômbia
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Verificar o resultado
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identificação lula gigante responsável por naufrágio de navio 2011
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here