“Vamos sem peso nas costas”, dispara Blake sobre Real no Grupo de Acesso

0
66

O Grupo de Acesso da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) e nesse sábado (22) eSports reais lutará para manter-se na elite nacional. O treinador da equipe, Victor “Blake” Ferreira, concedeu entrevista exclusiva à Tropa Free Fire e falou sobre a preparação do tempo para a disputa sobre a campanha na LBFF 7.

+ “Muita coisa vai mudar”, projetando Cerol sobre o futuro do Fluxo
+ Treinador que briga por acesso na Série da LBFF é acusado de agredido ex-namorada

Blake afirma que buscou mesclar experiência com juventude na escolha de jogadores para a LBFF 7. Malícia e boa leitura de jogo foram os principais fatores pensados ​​pelo treinador, porém, devido a imprevistos, acabaram perdendo o capitão e partiram para a improvisação de jogadores na função .

“A escolha do tempo foi baseada em uma mistura de experiência com juventude. Tentamos mesclar e montar um tempo agressivo, com bala, malícia, tomada de decisões fortes e boa leitura de jogo. O que nos prejudicou foi a perda de uma contratação de capitão, em cima da hora imprevistos e resultou e que improvisar o Antunes VM.”afirma Blake.

Durante a disputa da LBFF 7, a equipe passou por uma fase complicada devido a um desentendimento entre os membros. Porém, Blake afirma que o clima para a disputa do Grupo de Acesso é outro e o tempo está unido na busca, novamente, pela vaga na elite.

“Tivemos uma fase complicada, do começo para o meio da LBFF. Alguns desentendimentos entre os meninos, dificuldades de trabalho com o tempo, muita coisa não se encaixam e muita gente na GH querendo jogar. Mas para o acesso, o tempo vem bem mais tranquilo, mais confiante, clima mais leve e bem mais unido.”diz Blake.

Foto: César Galeão/Garena

Confiantes, fortes e sem peso nas costas, assim o treinador retoma a chegada do Real no Grupo de Acesso. A opção, organização, por trabalhar a parte psicológica e também a resolução dos problemas para a união da equipe.

“Chegamos fortes, confiantes e melhor do que jogamos a LBFF inteira. Temos três jogadores que já foram abordados pela experiência do grupo de acessos, Tatu e VM duas vezes e Antunes uma vez. Estamos três vezes mais confiantes, vamos sem peso nas costas, sem a pressão de ser rebaixados.”afirma Blake

“Estamos em calls boas, algo que também nos prejudicou na disputa da LBFF pois só jogamos em calls boas em Kalahari, onde fomos um dos três vezes que mais deu BOOYAH. Corrigimos as chamadas e chegamos com confiança lá em cima. Um trabalho psicológico em cima dos meninos, trabalho tático e em relação à parceria do tempo. Muito bem essa parte nesse período que fizemos juntos.diz Blake.

Foto: César Galeão/Garena

Quer saber mais sobre Free Fire? Siga a Tropa Free Fire nas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter!

Apesar da confiança e da preparação, para Blake, a Real eSports não chega como favorita e afirma que todas as equipes chegam com chances de acesso. “Não tem favorito, literalmente como 12 equipes tem chances de subir ou de se manter“, dispara Blake.

Por fim, o treinador ajudou a equipar a torcida pelo apoio que agradeceu a disputa da LB 7 e, apesar do resultado, as mensagens de apoio ajudaram a equipe a melhorar a confiança para a partida no Grupo de Acesso. “Quero agradecer à torcida de todo o mundo que enviou energia positiva durante esse split. Nós não tivemos acesso a uma torcida que nós tivemos um gás extra pra esse Amamos vocês.”finaliza Blake.

O grupo de acesso oficial ao vivo no sábado contará com transmissão oficial do Free Fire Youtube n / D BOOYAH!, plataforma de streaming da Garena, não Facebookno TikTok e na TV aberta, no canal da RedeTV!.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here