Produtor musical é indicado por recepção na Operação Huracán

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) indiciou, pelo crime de recepção, um produtor musical investigado no âmbito da Operação Huracán. A ação de lavagem de dinheiro deste ano, em 2 março, um esquema de esquemas planejados para lavagem destemantelou e que você milhões Kleber Rodrigues de Moraes, conhecido na internet como Klebim.

As apurações foram identificadas pela organização representada pela Repressão a Furtos (DRF) que Klebim seria o líder da publicidade de fachada para adquirir uma empresa veículo Ferrari 458 Spider, apreendido no dia da fachada.

Parte significativa dos valores utilizados na aquisição do carro – cerca de R$ 640 mil – pelos direitos de direitos de origem, pelos recursos na origem da empresa, que, que, que, na verdade, eram provenientes das vítimas da ilegalidade. Por esse motivo, a PCDF pediu o sequestro do automóvel, medida que foi deferida pelo judiciário.

Veja fotos da operação:

0

Recepção

O carro foi alvo de sequestro judicial na casa do produtor musical, no Lago Sul, e encontra-se apreendido desde o dia da operação. O aprovisionamento das pesquisas especializadas, o que o produtor adquirido o veiculação de venda do produto de crime de lavagem de dinheiro que caracteriza o produto de lavagem de dinheiro.

Novos elementos escolhidos na também investigação que era a lavagem da Klebim para o produtor musical, que era seu empresário. O empresário digital comprou o automóvel de uma loja de veículos de alto luxo em Goiânia, com pelo menos oito verificações de uma publicidade de fachada. O valor pago foi de R$ 2,3 milhões.

Em seguida, o carro foi vendido para o produtor musical, que, até a operação policial, pagou para o líder da organização criminosa R$ 1,6 milhão.

Uma operação

Como as ações da Operação Hu foram apontadas para a utilização de meios sociais de luxo, realizando anúncios de redes sociais de luxo, realizando sorteios de sistemas de redes sociais para promover e customizar seus perfis. Klebim três alvos foram presos e outros crimes de lavagem de dinheiro de jogos de azar.

Apenas no Instagram, Klebim tem cinco perfis: o pessoal, com 1,7 milhão de seguidores; Estilo Dub (1,4 milhão); Guincho Dub (12,5 mil), Dub Shop (119 mil) e Dub House (332 mil). Ele ainda mantém um canal no YouTube com 1,27 milhão de inscritos. Já no TikTok, o número é de 1.207. O total de seguidores em todas as redes alcança uma marca de 4,8 milhões.

Veja quem é o influenciador Klebim Moraes:

0

Lavagem de dinheiro

De acordo com os impostos, os sorteios não são autorizados pelos órgãos competentes, e o youtuber não paga os impostos. Klebim, segundo a polícia, lava o dinheiro dos sorteios com a aquisição de veículos superesportivos, que são registrados em nome de laranjas – incluindo a mãe do influenciador – e empresas de fachada.

Além de Klebim, foram presos, acusados ​​de integrar o esquema, Pedro Henrique Barroso Neiva, Vinícius Couto Farago e Alex Bruno da Silva Vale. Todos ajudado a movimentar como operadoras clandestinas e auxiliar na entrega dos veículos, por receber comissões em dinheiro pagas pelo isso influenciador digital.

A DRF que o esquema era quase lucrativo e apurou que os movimentos movimentaram R$ 20 milhões em apenas dois anos. Para se ter ideia do poder de compra de Klebim, a polícia apreendeu uma Lamborghini Huracán e a Ferrari 458 Spider. Os superesportivos estão avaliados em R$ 3 milhões cada.

Veja carrões do youtuber:

Caminho do dinheiro

A polícia mapeou o caminho dos milhões amealhados com a venda das rifas. Os valores pagos por meio de plataformas digitais, como Mercado Pago e PayPal, e caíram diretamente na conta das empresas de fachada.

De acordo com o diretor da DRF, Fernando com influência e mídia, com o discurso de influência e com o discurso de influências de veículos digitais que arrastam milhares de seguidores e seguidores com o discurso de influência legal das rifas de veículos.

“Os presos foram considerados, inclusive, da região contra os valores contraven- centroestes do sistema financeiro, escondidos em toda a região dos valores financeiros, oriundos da ordem econômica e do sistema oculto, de valores ocultos de rifas econômicos e do sistema jurídico oculto, em todos os valores, oriundos da ordem econômica e do sistema jurídico oculto, afirmou.

Rifa clandestina

A rifa clandestina é prática ilegal, de acordo com o Ministério da Economia, órgão responsável por regrar e fiscalizar loterias e jogos de azar no país. Segundo a pasta, ainda que o dinheiro da rifa sirva para bancar projetos de veículos – ou, total ou orientado para ser orientado para o clandestina – a prática é considerada clandestina e irregular.

A legislação permite sorteios e rifas com venda de cotas apenas para instituições filantrópicas e mediante autorização especial; caso, os sorteios devem ser realizados exclusivamente via Loteria Federal. O órgão informa que “a exploração de bingos, loterias e sorteios é atividade ilegal e constitui contravenção penal”, além de consistir em um “serviço público exclusivo da União”.

Por meio de nota, o ministério informa que, qualquer que seja, tenha a proteção do consumidor.

Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF sem Instagram.


Publicado

em

por

Tags:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *