Paralisação de trabalhadores de aplicativos acontece nesta terça-feira

0
33

Em busca de melhorias nos ganhos e condições de trabalho, trabalhadores de aplicativos, os funcionários e entregadores, realizar uma paralização em três estados nesta terça-feira (29). Os trabalhadores de Uber, 99 e iFood devem protestar em todas as capitais do paíscom a adesão de outros grandes estados.

A principal demanda dos entregadores de aplicativos destaca o aumento no preço dos produtos químicos. Com a gasolina mais cara (e também o natural veicular – GNV), os ganhos com os serviços GNV são, tanto no delivery quanto em corrida. Além da paralisação desta terça, os trabalhadores vão realizar um segundo ato na sexta-feira (1º).

publicidade

Leia mais:

Eles pedem ainda dos aplicativos de entrega que usem a hashtag Apagão dos Apps #apagaodosapps nas redes sociais, para e os operadores. Os entregadores e motoristas também pedem que deem baixas estimativas aos aplicativos nas lojas dos smartphones.

Nas reivindicações, os trabalhadores pedem mínimas corridas no valor de R$ 10 e reivindicam a profissão. Uma corrida em 20% que a companhia recebe em todas as corridas de valor do quilômetro (R$ 2,40 no Comfort e R$ 3,20 no Black).

Há ainda uma demanda de pagamento do tempo em corrida de R$ 0,20 o minuto, para pagar o deslocamento até o passageiro e mostrar o local de destino com informações mais específicas. Os motoristas querem também que todas as categorias, incluindo Uber Pro, tenham contato direto com o suporte por telefone.

Mãos segurando um smartphone na Uber
As paralisações dos trabalhadores de aplicativos acontecem em todo o país. Imagem: Oleksandr Lutsenko/Shutterstock

Eles pedem bolsões em aeroportos, incluindo áreas de embarque e desembarque, mais incentivos para motoristas melhores e mais próximas em todos os carros de motoristas mulheres. Por fim, os trabalhadores de aplicativos querem os valores de todas as corridas em todas as categorias de detalhes.

Respostas dos aplicativos

O iFood destacou que respeita o direito de manifestação dos trabalhadores e mantém um diálogo aberto. A companhia também disse que reajustou em 50% o valor mínimo do quilômetro rodada, saindo de R$ 1 para R$ 1,50, e da taxa mínima, de R$ 5,31 para R$ 6.

A 99 afirmou que os motoristas de 1,6 mil cidades já estão recebendo R$ 0,10 a mais por quilômetro a cada R$ 1 no aumento do combustível. UMA Rappi, assim como iFood, citou o respeito pela manifestação e o aumento em 40% na tarifa dos entregadores. A Uber não se pronunciou.

Através da: UOL

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? inscreva-se no nosso canal!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here