PCDF priorizará investigação de violência em escolas, diz chefe da SSP

0
40

O secretário de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), Julio Danilo, afirmou, nesta-feira (28/3), que a Polícia Civil do DF (PCDF) vai priorizar as escolas investigações dos casos de violência nas segundas investigações nos últimos dias. A declaração foi feita em coletiva de imprensa nesta tarde, no Palácio do Buriti.

“Casos como os sim que são túmulos e merecem, investigação, o aprofundamento e responsabilização dos envolvidos”, disse Júlio. “O nosso foco não é a repressão, mas a prevenção. No entanto, não podemos deixar de acompanhar esses casos”, completou.

Na, ocasião a secretária de Educação, Hélvia Paranaguáanunciou uma implementação do Plano de Urgência Pela Paz nas Unidades Escolares, para combater a violência nas escolas da rede pública. O programa envolve, além da Educação; como Secretarias de Segurança, de Justiça, de Saúde, de Esporte, de Juventude; e Casa Civil.

De acordo com Paranaguá, os trabalhos das massas serão levados a todas as unidades de ensino da rede pública, mas terão enfoque em 126 escolas que registram os maiores casos de violência.

“Temos o Programa de Práticas Integrativas Complementares, com o que já estamos em resultados em 30 escolas e tremendamente positivos. Foi feito feito como projeto, mas vamos aprender para todas as escolas do DF, que foram mapeadas por 126 escolas como as que têm demonstrado maior vulnerabilidade na questão da violência.

Cronograma

Segundo Hélvia, uma portaria da Educação será publicada no Diário Oficial desta terça (29/3), a comissão que atuará na terça. Na quarta (30/3), as massas farão uma reunião para construir o plano de trabalho a ser levado às aulas regionais.

A secretária prevista ainda que até o dia 27 de abril, o manual de Convivência Escolar e Cultura de Paz estará nas escolas. E, até 6 de junho, o plano de segurança deve estar implementado em todas as escolas do DF.

“Mas assim que estivermos o plano definido, amarrado com todos os dados, com o papel de cada secretaria com definido, vamos divulgar”, afirmou Hélvia.

Polícia nas escolas

Segundo Júlio Danilo, não há efetivo policial suficiente para que o GDF possa manter uma viatura em cada escola. Mas, a pasta cria um canal direto das escolas com a PM e o Corpo de Bombeiros.

“Nós temos 000 escolas e não temos um número de escolas para trabalhar. Estamos criando uma rede de comunicação direta entre os batalhões das regiões administrativas e as regionais de ensino. Ou seja, vai ter um número direto de comunicação e, tendo necessidade, a escola vai acionar a PM para um atendimento em caso de emergência”, informou o chefe da SSP.

“Além disso, a Polícia Civil vai priorizar as pesquisas relacionadas a isso. A gente vê que às vezes os alunos marcam pelas redes sociais algum tipo de enfrentamento, então vamos ter foco nisso”, acrescentou.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here