Após alta por reajuste da Petrobras, preços da gasolina e do diesel recuam, diz ANP

0
45

A gasolina e o diesel apresentaram preços menores nos postos de abastecimento nesta semana. As informações são do boletim de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)divulgado nesta sexta-feira (25).

A gasolina comum teve uma retração de 0,7% no valor do litro, chegando a R$ 7.210. Já o diesel ficou 1,3% mais barato do que na semana anterior, custando R$ 6.564.

A gasolina aditivada e o diesel S-10 também tiveram retração no preço encontrado médio nos postos de combustíveis. As quedas foram, respectivamente, de 0,7% e 1,1%.

Todos os demais comerciável, GLP, GNV e etanol, apresentaram alta. O gás natural veicular chegou a R$ 4.750. O litro do etanol está custando R$ 4.952.

O que teve o maior aumento foi o gás liquefeito, que registrou o preço médio de R$ 113,2 frente aos R$ 112,54 da última divulgação.

Na semana passada, todos os combustíveis registraram alta por conta do reajuste da Petrobras. A empresa anunciou, no início do mês, um aumento de 18% para gasolina e 25% para diesel.

O gás de cozinha passou de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg, equivalente a R$ 58,21 por 13kg, refletindo reajuste médio de R$ 0,62 por kg.

No mesmo dia do anúncio da Petrobras, o presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou o Projeto de Lei Complementar (PLP) que prevê uma cobrança única do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre materiais, inclusive importados. O também se estenderá para o querosene gás natural de ICMS único.

Na quarta-feira (23), o governo brasileiro anunciou que vai aumentar a produção de petróleo em cerca de 10% para tentar ajudar na estabilização do mercado internacional de petróleo. O Brasil deve, segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, aumentar a produção em cerca de 300 mil barris de petróleo por dia.

No dia seguinte, o diretor-geral da ANP, Rodolfo Henrique Saboia, não garantiu que o aumento da produção vai impactar diretamente nos preços dos produtos alimentares no país.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here