Telegram assina termo de adesão ao programa do TSE de combate à desinformação – Money Times

0
28

Telegrama
Pelo termo, o Telegram se comprometendo a manter o sigilo necessário como informações a que teve acesso ou conhecimento no âmbito do TSE (Imagem: Pixabay)

O Telegrama termo nesta sexta-feira o de adesão ao programa de combate à formação promovida pelo Tribunal Superior EleitoralInformado o TSE em seu site.

“A finalidade da parceria é combater os conteúdos falsos relacionados à JE (Justiça Eleitoral)ao sistema eletrônico de votação diferente e aos atores eleitorais envolvidos nas fases”, diz nota do tribunal.

Na quinta-feira, o representante da plataforma no BrasilAlan Campos Elias Thomaz, informou que levaria a proposta de aos executivos do Telegram, acrescentando que o aplicativo está empenhado no combate às parcerias notícias falsas.

O Telegram era o único entre os principais aplicativos de mensagens e redes sociais que não havia fechado ainda uma colaboração com o TSE com vistas à eleição deste ano.

“O termo de adesão e o TSE foi registrado gratuitamente, não implicando os órgãos financeiros ou os financiamentos de recursos ao Telegram TSE, cada um das instituições implicando com os programas de custos afirmando às partes envolvidas no tribunal.

“Pelo termo, o Telegram se comprometendo as informações sobre o sigilo necessário que tenha acesso ou conhecimento não mantenha a extensão do TSE, autorização em sentido contrário ao tribunal”, acrescenta uma nota.

O Programa Permanente de Enfrentamento Desformação no Âmbito da Campanha da Justiça Eleitoral foi instituído em 2019, após a experiência de encontros durante o instituto de 2018. Segundo o TSE, a parceria com diversas instituições se tornou um pilar importante do combate à desinformação.

Há poucos dias, o Telegram chegou a ser alvo de uma suspensão no Brasil, determinado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro da corte Alexandre de Moraes deliberado na sexta-feira da semana passada a suspensão integral do aplicativo por descumprimento de determinação de bloqueios e desmonetização de contas conectadas ao blogueiro bolsonarista dos Santos, considerado foragido da Justiça no inquérito que investiga milícias digitais e produção de notícias falsas.

No domingo, revogou-se a decisão de apresentação do Telegram após o aplicativo de ordens do STF que estavam pendentes.

Nesse meio tempo, Pavel Durov, fundador e presidente-executivo do Telegram, escreveu pedido de desculpas endereçado ao Supremo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here