Morador de rua conta seu lado da história de relações sexuais em DF

0
85

O morador de rua, Givaldo Alves de Souza, de 48 anos, que foi flagrado tendo relações sexuais com a esposa de um personal trainer, contornou o seu lado da história. O caso aconteceu em Planaltina, no Distrito Federal e chamou a atenção do Brasil após Givaldo ser espancado pelo personal trainer.

Assim, a entrevista à Record TV aconteceu na última quinta-feira (24). O morador de detalhes sobre o dia em tudo que deu a mulher e que foi consentido, sem que suportar qualquer violência sexual. A entrevista completa foi exibida no programa Balanço Geral Brasília quinta-feira.

Morador de rua conta sua história

De acordo com Givaldo, a mulher o abordou na rodoviária de Planaltina. Após perguntar se ele queria namorar com ela, ele afirmou que não possuía dinheiro para quarto de hotel.

Então, eles seguiram de carro para uma rua residencial, movendo-se até uma rua residencial, veículos. Assim, Givaldo disse ter alertado a mulher sobre o fato dele ser morador de rua, mas ela teria afirmado querer ter mesmo relações assim.

“Naquela noite, ao passar pelo terminal rodoviário, eu ouvi uma voz que insistentemente gritava: ‘Ei moço, moço’. Eu olhe para trás vi uma moça linda demais, e então comigo, ela disse que estava falando que sim eu esperei. Quando ela chegou mim, com no que ajudou você pode ajudar: e ela’Quero namorar’. Eu falei que era morador de rua, mas ela disse que não ligava e que queria namorar comigo”, contorno.

Personal trainer espanca homem

Em seguida, Givaldo foi surpreendido por uma sequência de socos no rosto quando o personal trainer Eduardo Alves flagrou toda a situação.

“Foi muito rápido, atitude foi sentar no banco e minha única porta. Quando ele [Eduardo] no carro, nossas mãos se encontraram em socos, até que ele parou, ficou paralisado, olhando pra ela. Ela não disse mais nada, não disse mais nenhuma palavra.”

De acordo com Eduardo Alves, ele acreditou se tratar de um abuso sexual. Dessa forma, câmeras de segurança no local registraram o ataque de fúria do homem, que também chegou a investir contra a própria companheira.

Além disso, o morador de rua que dentre as imagens circulares conta nas redes sociais, mostra um homem sendo agredido ao lado de um carro branco não são dele. “Não sou eu que apareço nessa imagem, essa imagem que mostra um carro branco está sendo atribuída a mim, mas não sou eu, em hipótese alguma”, afirmou.

Givaldo é internado após agressão

Reprodução

O caso aconteceu no dia 14 de março, no Distrito Federal. Após os ataques do personal trainer, o morador de rua foi encaminhado a um hospital público. Apesar de alta, Givaldo se viu assustado e temeu como represálias.

Assim sendo, antes de conseguir vaga em um abrigo em Ceilândia, Givaldo permaneceu na unidade de saúde. Até o dia 17 de março, ele não estava ciente da repercussão do caso e foi informado pelos assistentes sociais sobre a dimensão de tudo.

Isso teria feito surgir o medo de voltar para as ruas, onde ele estava exposto a um ataque. Dessa forma, Givaldo não possui alguém e não conhece o telefone de próximo para entrar em contato e procurar ajuda.

Com a repercussão que o caso ganhou, o homem chegou a ser assediado pelos próprios funcionários do hospital. Na, ocasião as pessoas tentaram fazer imagens e tirar fotos com ele. No entanto, a saúde uma circular do homem proibindo que unidade estão a funcionar imagens, em situação de vulnerabilidade.

Fonte: R7

Esse conteúdo Morador de rua conta seu lado da história de relações sexuais em DF foi criado pelo site Fatos Desconhecidos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here