Sete dicas que você precisa saber para melhorar seu tempo de jogo | Jogos

0
56

Jogar videogames é um hobby compartilhado por milhões de pessoas no mundo. Segundo relatório divulgado pela Inteligência DFC, quase 1 bilhão consumiam jogos em meados de 2020. Para se ter uma ideia, isso significa quase 40% da população mundial “gamer”. Mas, com uma rotina corrida, arranjar um tempo de qualidade para jogar nem sempre é fácil.

Por outro lado, não faltam lançamentos para curtir, como Anel Elden e Arca Perdidaou as temporadas de games como Call of Duty: Zona de Guerra, Fortnite, entre outros. Pensando nisso, o TechTudo separou, com ajuda da HyperX sete dicas para você praticar e arriscar ainda mais o seu tempo de jogo.

Veja dicas para avaliar ao máximo seu tempo na hora de jogar — Foto:/Steam

Você não precisa abrir a mão de um título inteligente por outro, mas vale selecionar um jogo específico para jogar de maneira. Muitos jogos ao mesmo tempo brincam, jogando a qualidade do tempo dedicado. Ao final, focar em muitas informações de diferentes jogos vai dificultar a tarefa de exibição dos detalhes e particularidades de um jogo.

Ao invés disso, organize uma sua jogatina. Uma dica é fazer uma lista com até cinco jogos que você quer muito jogar e, em seguida, definir o favorito da lista para começar. Se estiver com dúvida, outra ideia é começar pelo jogo mais curto. Desta forma, quando você terminar, terá uma noção melhor de como continuar progredindo na sua lista. A dica é ficar atento em da mídia especializada para saber aquele que combina a sua “estratégia”.

Um momento terrível, principalmente para quem gosta de jogar on-line (o famoso tipo de “jogo que não tem pausa”), é interrompido devido a tarefas pendentes. Para verificar o melhor tempo de jogo, uma ferramenta essencial é essa: programe o seu tempo. Tenha a prioridade de sua lista de tarefas do “mundo real”, pagar contas, andar com o cachorro, tirar a do varal ou arrumar o quarto. vez que suas tarefas serão importantes.

3. Não precisa zerar tudo (mas se quiser, tudo bem)

Vai platinar um jogo? Tudo bem. Vai ficar de bobeira pelo mapa? Tudo bem também. O importante é se divertir — Foto: Reprodução/Bruno Magalhães

Com o grande número de lançamentos, é preciso entender que nem sempre um jogo vai se mostrar interessante ou atender às suas expectativas. Neste caso, se você sentir que está cansado de jogar um jogo determinado, pare e mude o foco. Nem todas as histórias vão cumprir, ou nem sempre imitam as peças de venda anunciadas.

Faça o seu caminho: foque apenas nas missões principais ou fuja um pouco da história. Se o jogo permitir, explore o mapa, faça as missões secundárias ou procure por segredos e loots. Agora, se você for do tipo que gosta de zerar ou platinar jogos, tudo bem também. Só tenha cuidado para que isso não torne uma obsessão e pneu ou fator diversão do seu tempo de jogo.

4. Ganhar é bom, mas aprender é melhor ainda

Para quem gosta de jogos competitivos como Liga dos lendários (LOL), Fortnite e Counter Strike: Global Offensive (CS:GO), uma situação bem comum é a de jogadores obcecados com a vitória acima de tudo. Várias estão cheias de jogadores que reclamam “presos” em certos elos ou comunidades, atribuindo sua situação à qualidade dos companheiros de tempo. Aqui, entra uma lição muito importante: aprenda a perder e não se apegar tanto ao resultado.

Ao jogar jogos competitivos, foque em aprender e desenvolver sua jogabilidade — Foto: Reprodução/Steam

Vencer é ótimo, mas a derrota também faz parte do universo de um jogo competitivo. Independente do resultado, concentre-se em outros aspectos, como seu desempenho, como analisar a performance em uma partida de decisões e estratégias que funcionam ou não.

Use toda partida como uma forma de aprender algo que possa melhorar o seu nível de jogo. Comunicação com os aliados e tentar novas táticas também são ideias muito importantes. Mas, ainda assim, é importante dizer: se você está preocupado muito, vale jogar partidas amistosas e deixar como classificado um pouco de lado para não prejudicar seu desempenho.

As microtransações são uma parte para os jogos online, e não é um problema importante investir em skins, melhorias no seu tempo ou novos itens em geral. Existem jogadores que querem comprar pacotes do Ultimate Team no FIFAou quer fazer invocações em Impacto Genshin e adquirir skins especiais no Fortnite. Vale sempre a pena ficar com o olho nos gastos: estipule orçamentos previstos para reservar reservado ou reservado.

Skins, passes de batalha e outros exemplos de microtransações são interessantes, mas é importante não extrapolar (e ficar ‘preso’ a um único jogo) — Foto: Divulgação/Epic Games

Isso vale também para os passes de batalha. No início é normal subir de nível rápido e boas recompensas, mas com o tempo é bem comum que os jogadores perdem o interesse, já que as partidas serão visíveis para progredir até os avançados.

Se a ideia é comprar o passe de batalha e ir até o fim, tudo certo. A regra de ouro aqui é escolher apenas os conteúdos que você quiser comprar ao invés de sair com todo o tipo de conteúdo que você pode não ter tempo de conciliar.

Todo mundo tem a sua franquia ou gênero favorito. Apesar disso, o tempo de jogo pode se tornar uma experiência muito interessante para explorar jogos e experiências de padrões que vão além. Existem serviços focados em lançamentos, plataformas com grande oferta de jogos clássicos, e todo um universo de jogos indies que sempre rendem experiências muito interessantes. O resultado pode ser legal e o jogador pode até mesmo acabar descobrindo seu novo jogo favorito.

Vale explorar games de estilos diferentes para estilos bem seu tempo de jogatina — Foto: Reprodução/Bruno Magalhães

Tire um tempo (livre) sem jogar

Pode parecer algo contraprodutivo, porém é um conselho real. vezes você verá maior benefício em muitas vezes para comer uma pizza ou simplesmente ligar a TV para assistir uma série e ativar um jogo de lado. Isso vai ao cérebro um “botão de reservar” muito necessário para encarar com um sentimento renovado.

A estratégia se mostra útil principalmente para quem gosta de jogos competitivos, onde é fácil “tiltar” depois de uma sequência de derrotas. Não adianta ficar jogando videogames até se irritar e fazer a experiência de jogo ser mais cansativa do que deveria. A ideia do hobby é justamente o contrário.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here