Conta de luz pode 5% mais barato se todo consumidor escolher fornecedor próprio de energia

0
43

A possibilidade de os escolhidos escolherem o próprio fornecedor de energia elétrica, no Congresso, pode gerar redução de 15%, em mídia, na conta de luz. Essa é a previsão da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

Hoje, apenas consumidores de eletricidade, como os grandes mercados, podem comprar energia no mercado, onde é possível negociar preços, quantidade e fonte de energia como geradores ou fornecedores. Já os consumidores recebidos energia por meio de uma distribuidora, que têm tarifas reguladas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Leia também:
Energia direto do fornecedor: Brasil estuda abertura do mercado livre
Startups ajudam pessoas a gastar menos com energia

De acordo com a Abraceel, a negociação no ambiente livre levará a uma redução média de 27% na fatia da conta referente ao custo da energia elétrica. Como sobre as faturas ainda incidentes de impostos, encargos e taxas pelo uso do serviço de distribuição, a redução total é estimada em 15%.

O presidente executivo da associação, Rodrigo Ferreira, diz que a economia acontece devido à concorrência. “É a diferença entre a tarifa de energia das distribuidoras, regulada pela Aneel e que reflete os custos básicos dos leilões, e o preço da energia no mercado livre. A competição e maior eficiência na contratação e na energia tornam o preço mais no mercado livre.”

TRAMITAÇÃO

A mudança nas regras prevista está prevista em dois projetos de lei na Câmara: o projeto 1917/2015, aprovado em comissão no ano passado; o projeto 414/2021, que, um após ano, voltou com a circulação da primeira versão do relatório, elaborado pelo ex-ministro de Minas e Energia e deputado Fernando Coelho (União-PE).

O parecer prevê uma abertura total do mercado em até três anos e meio. A, segundo o, é de que o texto seja previsto para a previsão da Câmara.

A Abraceel fez a abertura gradual e que todos os clientes podem escolher a partir de 20 de janeiro a abertura gradual e que todos os clientes podem escolher a partir de 20 de janeiro.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Cadastro-se na Impulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here