Hong Kong tenta reativa com retomada de voos e economia de quarentena

0
56

Hong Kong anunciou nesta segunda-feira (21) que suspenderia as de voos e reduziria os requisitos de quarentena após dois anos de dura feira à proibição Covid-19 que prejudicam a economia global e estão entre os negócios globais.

Em entrevista coletiva, a chefe do Executivo, Carrie Lam, disse que residentes de nove países, incluindo Índia, Reino Unido e Estados Unidos,poderá voltar para casa a partir de 1º de abril.

As outras nações são Austrália, Canadá, França, Nepal, Paquistão e Filipinas.

Apenas residentes vacinados de Hong Kong poderão retornar nesses nove países. Não ficou definitivamente claro qualquer o que as mudanças significavam para os não residentes que chegam de país fora da China continental.

Os voos dos nove países foram proibidos no início deste ano, pois a variante Ômicron estava se espalhando pelo mundo. Lam disse que as proibições não eram mais semelhantes, já que a situação do coronavírus não era mais melhor do que em outros países.

Passando o centro de negócios indiscutível da Ásia, um sistema de saúde enorme da China está atualmente por uma fuga perigosa quinta onda de infecções, levando a mais mortes, uma sobrecarga do sistema de saúde um impacto na área de crescimento da cidade.

Apesar disso, o de governozer grande comprometido com sua política “zero Covid comprometido”forçando requisitos de fixação social e forçando a manter a distância.

Lam também disse que, a partir do próximo mês, os residentes de Hong Kong vacinados que retornarão de todos os países abaixo serão solicitados a ficar em quarentena em hotéis por sete dias, dos 14.

Ela sexto que os viajantes podem ativar uma quarentena do hotel se testarem negativo para o vírus no quinto dia, seguidos por testes no e sétimo dia.

No entanto, eles ainda eram obrigados a completar mais sete dias de automonitoramento.

As comunidades de quarentena de Hong Kong ganharam notoriedade empresarial internacional.

Anteriormente, o requisito para a maioria dos viajantes de entrada era se auto-isolar em quartos de hotel por três semanas, tornando-se uma das quarentenas mais longas do mundo.

semana passada, La hora da cidade da necessidade de melhorar a posição nos negócios globais, dizendo que chegou a hora do governo revisar os limites.

“Tenho uma sensação muito forte que a tolerância das pessoas está de forte. Tenho uma noção muito boa de instituições financeiras de todos que têm alguma afinidade com esse tipo de status isolado de Hong Kong, já que Hong Kong é um centro financeiro internacional”, disse ela.

“Temos que fazer preparativos para um relançamento de nossa economia”, disse ela na segunda-feira.

No entanto, a questão já causou um êxodo significativo.

No mês passado, cerca de 94 mil pessoas. E na primeira quinzena de março, mais de 50 mil pessoas, enquanto cerca de 7 mil entraram.

De acordo com a Câmara Geral de Comércio de Hong Kong, a saída está afetando as empresas em toda a economia.

Em um comunicado no início deste mês, o presidente Peter Wong disse que a cidade estava “enfrentando um êxodo de trabalhadores instruídos em uma escala não vista desde o início dos anos 1990”.

— Lizzy Yee contribuiu para este relatório.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here