Servidores do Banco Central fazem paralisações em horários programados para próxima data

0
54

Os servidores do Banco Central decididos às assembleias, realizados na noite da feira (16), a partir das 14h, a partir das 14h, desta quinta (17h). Além disso, ficou determinado que os substitutos pediram de cargas de chefia das posições.

Uma nova assembleia foi marcada para 22 de março para deliberar sobre uma greve geral.

O presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do (Sinal), Faindicad, afirmou que a categoria quer um reajuste salarial de 26,3%, além da análise da biografia da carreira de analistas.

“As declarações do presidente Jair Bolsonaro (PL), solicitando’compreensão’ aos servidores não são da segurança pública federal, só serão dados para os servidores oficiais e outros servidores de segurança BC”, disse Faiad.

Leia também:
“Quem nós podemos salvar na frente, a gente salva”, diz Bolsonaro
Bolsonaro sobre reajuste a policiais: “Houve uma grita geral”

Segundo ele, é pela categoria uma reunião com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, nos próximos dias. Os servidores também querem que o presidente do BC, Roberto Campos Neto, envie um ofício ao Ministério da Economia e ao presidente Bolsonaro cobrando o reajuste.

“Se as duas coisas não ocorrerem em data próxima, na próxima terça-feira, na determinação de até22 de março, a oposição será prevista a seguir as propostas de greve por tempo indeterminado e a entrega das comissões na mesma data”, afirmou o presidente do Sinal.

Cadastro-se na Impulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here