Essa mulher recebeu cachaça ao invés de água em hospital

0
73

A maioria das pessoas já ouviu a música que diz: “se você pensa que cachaça é água, cachaça não é água não”. geralmente, ela se refere às pessoas que bebem muito. Mas e se profissionais confundirem cachaça com água? Esse foi o caso que aconteceu com essa mulher de 37 anos na Bahia.

No sábado, Zenilda Lisboa foi até o Hospital Municipal de Santa Teresinha, na Bahia, depois de sentir dores bem fortes no estômago. Depois de ter sido atendida, a mulher foi informada que precisaria passar a noite no hospital em observação.

Foi aí que ela recebeu cachaça ao invés de água. O caso parece totalmente absurdo. Talvez, por esse motivo, a mulher fez questão de gravar um vídeo explicando o que aconteceu com ela enquanto estava no hospital.

Caso

“Eu estava com muita falta de ar e com água muito seca, por isso pedi. A enfermeira veio com um copo e eu estava tão desesperada para tomar água que vira o copo. Quando engoli, senti que não era água, era cachaça. Minha pressão caiu na hora, eu posso passar mal, a vomitar. A enfermeira disse ‘Jesus, eu te de cachaça’, e voltoui para a sala. Acho que isso piorou muito a minha situação, quando eu tomei uma cachaça dobrou o que eu estava sentindo”, conto ela.

Mesmo tendo passado pela situação, a mulher ainda não sabe ao certo o que pode ter causado esse erro. Ainda mais dentro de um hospital. “Ela disse que possivelmente algum deixou a garrafa no lugar e ela passou para mim”, pontuou.

Embora a mulher tenha feito o vídeo contando o ocorrido e publicado em redes sociais disse que ninguém disse até o momento do hospital entrou em contato com ela para algum esclarecimento. “Ele agem como se nada tivesse disponibilidade”, disse ela.

Mistério

UOL

O mais curioso é que a mulher continua internada no Hospital Municipal de Santa Teresinha esperando os resultados de seus exames. Por conta do ocorrido, ela pretende processar a instituição.

A TV Bahia conseguiu entrevistar uma enfermeirau Zenilda, ela foi identificada como Valci dos Santos e confirmada que a mulher realmente recebeu cachaça ao invés de água. Além disso, um deles explicou que os funcionários têm uma garrafa em cima do armário do trabalho para facilitar o atendimento aos pacientes.

A bebida para ter antes de mulher sentido o cheiro da mulher antes. “Tirei a máscara para cheirar e realmente era bebida alcoólica. Estava em uma garrafa de água mineral, porém o líquido dentro não era água mineral”, disse ela.

Nem mesmo a solução ou a solução sabia o motivo da bebida alcoólica dentro da garrafa.

cachaça

Serra do Cipó

A bebida que a mulher recebeu no lugar de água é bem apreciada pelos brasileiros. Tanto que ela é patrimônio reconhecido como histórico cultural em três estados brasileiros, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e em Pernambuco, mas em vários outros estados brasileiros ela também é apreciada.

geralmente, a cachaça é chamada de pinga. Independente do nome, a bebida existe há muitos séculos. Assim, sua origem divide, tendo duas principais hipóteses.

o primeiro da cachaça está diretamente ligado ao início da produção de açúcar Brasil, com a chegada de açúcar no país, trazidas pelos portugueses em 1502. foi instalado em Pernambuco.

Não se sabe, exatamente, quando surgiu uma cachaça. Entretanto, a tese de que a bebida começou a ser produzida no século XVI é a mais aceita. Isso porque esses dados coincidem com o começo das atividades de engenho no Brasil.

Surgimento

Abrindo a Porteira

Uma das hipóteses para a criação da cachaça é a de que, durante o cozimento do caldo da cana para produção de um melaço semelhante à rapadura, era costumeiro que o caldo fosse fermentado. Assim, formava-se um líquido mais grosso denominado “cagaça”, que era muito amargo. Como ele não serve para adoçar as bebidas, ele acabava sendo servido junto com as sobras da cana para os animais.

Mas quando os escravos o provaram, eles perceberam que o encanto o trabalho aumentava, assim, o hábito de consumir cachaça comum entre eles.

A segunda hipótese é que em algum momento os escravos misturaram um melaço velho e fermentado com um melaço fabricado. Nessaícula, tudo acabou fazendo com que o álcool apresenta no melaço velho evaporasse e formase got no teto do engenho.

Conforme o líquido pingava nas suas cabeças e ia até a boca deles, os escravos experimentavam a bebida. Inclusive, essa hipótese é de onde o nome “pinga” teria surgido.

Fonte: UOL

Imagens: UOL, Serra do Cipó, Abrindo a Porteira

Esse conteúdo Essa mulher recebeu cachaça ao invés de água em hospital foi criado pelo site Fatos Desconhecidos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here