Brasil se consolida em 2º lugar do ranking de países com os maiores juros reais do mundo – Money Times

0
35

Alta de Selic faz investidor repensar suas aplicações (Imagem: Shutterstock)

UMA Rússia voltou a ocupar a liderar o ranking mundial de juros reais em março, mesmo após o Comitê de Política Monetária (Copom) Faz Banco Central (BC) assumir um taxa básica de juros do Brasil (Selic) em um ponto percentual, de 11,75%.

O aumento da taxa é uma resposta à escalada da imposto brasileira, que atingiu em fevereiro o nível mais elevado para o mês (1,01%) em sete anos. No acumulado em 12 meses, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu para 10,54%.

A Rússia retorna ao primeiro lugar da lista, elaborada pela MoneYou e Infinity Asset Management, após o banco central do país acionar ao fim de fevereiro os juros de 9,5% para 20% como medida de emergência para sustentar a economia local.

Na ocasião BC russo disse que “externas para a economia russa severamente condicional”. A instituição se refere a países do Ocidente após referência ao presidente russo Vladimir Putin envio de tropas militares em direção à Ucrânia.

Em fevereiro, o Brasil era o líder do ranking. Agora, com a revisão da Selic, os juros reais do país atingiram 7,1% (contra 30,07% da Rússia).

A taxa de real abate a inflação prevista para os próximos 12 meses, e é considerada uma medida melhor para comparação com outros países.

Além de Rússia e Brasil, o ranking é formado por Colômbia, Chile e México, com juros reais de 3,65%, 3,64% e 2,62%, respectivamente. OS Estados Unidosque iniciaram o ciclo de ativação da taxa de juros nesta quarta, estão na trigésima quarta posição, com juros reais em 4,28%.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here