Justiça manda Sidnei Piva entregar tokens da Itapemirim e proíbe de ter contato com funcionários

0
35

A Justiça de São Paulo determinou ao empresário Sienei Piva que entregará os tokens que fazem a movimentação financeira do grupo Itapemirim para a administradora Exm Partners, responsável pela fiscalização do plano de cobrança da empresa.

A juíza Luciana Menezes Scorza também proíbe o empresário de manter contato com qualquer pessoa do grupo Itapemirim e da Itapemirim Transportes Aéreos (ITA) a fim de garantir o seu “afastamento por completo das empresas”. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico desta terça (15).

Leia também:
Sidnei Piva descumpre decisão e segue gerindo a Itapemirim
MP-SP pede à Justiça decretação de falência do Grupo Itapemirim

A ordem foi após a Exm Partners informaram despeito da decisão judicial que, no dia que o grupo de fevereiro definiu, seu pim8 de acordo com a razão da suspeita de Itapemi que ele se apriou de empresas de Itaperim para criar paralelas, em especial a Itapemirim Transportes Aéreos.

“Há a ideia de crimes falimentares, este ato de lavagem de dinheiro possível criminoso”, afirmou juíza na decisão que determina o ato de lavagem. “Os valores desviados são milionários”, citando uma quantia de R$ 32 milhões.

A defesa do empresário havia prometido à justiça um pedido da decisão de dez dias, um fim de medidas junto às instituições financeiras. Sem esse prazo argumentou, a medida de intenção da companhia pode provocar uma paralisação. Os tokens, segundo a defesa, ficariam com diretores da Itapemirim.

O pedido não foi atendido. A juzzagouzagados os administradores de gestão da empresa, os atos jurídicos que delegarem as instituições financeiras, incluindo os atos administrativos, os atos administrativos da empresa, inclusive, o Piva.

Em nota enviada ao Infomoney, a de Pi, o proprietário não estava anunciando a decisão judicial e a disponibilização a aguardar a divulgação de uma tentativa de alteração de documentos pela Justiça. “A alusão a possível descumprimento de decisão judicial é equivocada e não leva em conta o posicionamento expresso expressamente pelo empresário junto à decisão judicial”.

De acordo com a defesa, liderada pelo advogado Renato Stanzio Vieira, Piva se “prontificou a qualquer medida a ser estabelecida”. Além do objetivo da empresa, a juíza determinou que o empresário use tornozeleira eletrônica e entregue seu passaporte.

Grupo Itapemirim

Fundada em 1953, a Itapemirim chegou a ser a maior empresa de transporte rodoviário do país. No auge, possuía 1.700 ônibus. Em 2020, quatro anos após o início da recuperação judicial, a empresa tinha apenas 573 veículos, sendo que 303 estavam sendo operados.

A despeito da crise de Itapemirim, que era descrita como “grave”, Sidnei Piva anunciou, em fevereiro de 2020, a criação da empresa aérea durante uma viagem em que ou uma comitiva do governador João Doria (PSDB) ao Oriente .

Em maio de 2021, em plena pandemia do coronavírus, a Itália começou a vender passagens aéreas, programando seu voo inaugural para o dia 29 de junho. O plano era atender 35 até sua malha aérea junho 2. O empresário dizia ainda que disputar licitações para adquirir uma concessão em 20 aeroportos.

Às vésperas de Natal do ano passado, no entanto, a empresa suspendeu suas operações por argumentar a necessidade de passar uma “reestruturação interna”. Nos seus meses de atividade, a empresa acumulou problemas, convindo com dívidas com atrasos e atrasos no pagamento de entregas e atrasos.

De acordo com o Procon, 13 mil passageiros foram prejudicados pela suspensão das atividades em dezembro.

Cadastro-se na Impulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here